Boeing 737-300 da Webjet

A atual legislação brasileira impede que grupos estrangeiros tenham participação significativa em companhias aéreas nacionais, mas um projeto de lei que tramita no Senado pretende mudar isso. Hoje esse limite está em apenas 20% e deve subir para 49% caso os senadores aprovem o referido projeto. Se isso ocorrer, umas das companhias que pretende utilizar esse expediente é a Webjet.

A companhia aérea administrada por Guilherme Paulus, o fundador da CVC, maior agência de turismo do Brasil, já negocia com a irlandesa Ryanair, uma das primeiras companhias low-cost do mundo. A ideia é vender a participação máxima da Webjet para a Ryanair a fim de ganhar escala e receber investimentos.


Hoje, a Webjet opera com 20 aeronaves 737-300, mas não pretende ampliar a frota este ano, apesar da estreia na ponte aérea Rio-São Paulo.