A USS Unity alcançou mach 1,87 em seu primeiro voo motorizado e mais de 25 mil metros de altitude (Virgin Galactic)

A USS Unity alcançou mach 1,87 e mais de 25 mil metros de altitude no primeiro voo motorizado (Virgin Galactic)

A Virgin Galactic, a empresa de turismo espacial de Richard Branson, completou nessa quinta-feira (5) o primeiro lançamento da espaçonave SpaceShipTwo “VSS Unity” com o foguete acionado, teste que o grupo não realizava a quase quatro anos. O voo motorizado foi executado no deserto do Mojave, nos Estados Unidos, onde fica a sede da companhia.

Como é comum nos procedimentos de voo da Virgin Galactic, a Unity decolou transportada pela aeronave WhiteKnightTwo “VMS Eve” e foi lançada a 46.500 pés (14.173 metros) de altitude.


Logo após o desligamento na “nave-mãe”, o motor da SpaceShipTwo foi acionado e a espaçonave comandada pelos pilotos Mark Stucky e Dave Mackay acelerou em uma subida de 80 graus de inclinação durante 30 segundos até o corte do motor, alcançando mach 1,87 (cerca de 2.230 km/h) e 84.271 pés (25.680 metros) de altitude.

Uma vez que Unity começou a descer, os pilotos elevaram a cauda móvel da aeronave, equipamento que Virgin chama de “Tail Booms”, em um ângulo de 60 graus em relação a fuselagem para frear a descida. A cerca de 15.200 metros de altitude os Booms voltaram a posição normal e a espaçonave planou em segurança até a pista de pouso.

“O voo gerou dados valiosos sobre o desempenho de voo, motores e o veículo que nossos engenheiros vão analisar”, afirmou a Virgin Galactic. “Também marca um momento chave para o programa de voos de teste, entrando agora na fase emocionante do voo motorizado e na expansão para foguetes com duração total”.

O último voo motorizado da SpaceShipTwo havia sido realizado em 31 de outubro de 2014 com o modelo “USS Enterprise”, o primeiro protótipo da série. O teste terminou com um acidente que destruiu a aeronave e matou um piloto e deixou o outro gravemente ferido.

O segundo modelo da série, o USS Unity, foi apresentado em fevereiro de 2016 com um discurso de abertura do falecido professor Stephen Hawking, que havia sido convidado por Branson para voar até o espaço com a Virgin Galactic.

Passeio no espaço

No futuro, o plano da Virgin é levar a aeronave com seis passageiros (além dos dois pilotos) até 361.000 pés de altitude, o equivalente a 110 km de distância da superfície terrestre. A SpaceShipTwo é projetada para realizar voos suborbitais, quando a nave chega ao espaço, mas sua trajetória não completa uma revolução orbital, ou uma volta pela Terra.

O "avião-espacial" SpaceShipTwo tem espaço para até seis passageiros (Virgin Galactic)

O “avião-espacial” SpaceShipTwo tem espaço para até seis passageiros (Virgin Galactic)

A espaçonave da Virgin Galactic é fabricada pela SpaceShip Company, empresa formada por Richard Brason e o lendário projetista Burt Rutan, ex-engenheiro da NASA e atualmente presidente da Scaled Composites, fabricante que está desenvolvendo o maior avião do mundo, o Stratolaunch.

O voo espacial da Virgin promete ser uma viagem radical. Depois de liberada da nave-mãe, a SpaceShipTwo deve acelerar a mais de 4.000 km/h em uma subida brusca empurrada por um foguete com 60.000 libras de empuxo, quase a mesma potência dos quatro motores a jato de um Boeing 747. Com o motor desligado, a aeronave segue o curso natural do voo suborbital e completa a curva de descida e reentrada na atmosfera terrestre, também em alta velocidade.

A nave turística é transportada até a altitude de lançamento pelo WhiteKnightTwo (Virgin Galactic)

A espaçonave turística é transportada até a altitude de lançamento pelo WhiteKnightTwo (Virgin Galactic)

Aos interessados, a Virgin Galactic já vende as passagens espaciais por US$ 250.000 (cerca de R$ 843 mil).

Veja mais: As espaçonaves do século 21