O primeiro A350-1000 da Virgin Atlantic segue para o Reino Unido (Airbus)

Após grande expectativa, a Airbus entregou neste final de semana o primeiro A350-1000 para a companhia aérea britânica Virgin Atlantic. Com 335 assentos, o novo bimotor estreará a nova classe executiva “Upper Class”, com 44 lugares, além de 56 na econômica premium e 235 na econômica. O primeiro destino do jato será Nova York, a partir de 10 de setembro, anunciou a empresa.

A entrega do primeiro de 12 A350-1000 atrasou algumas semanas. A Virgin Atlantic pretendia recebê-lo ainda em julho, mas a aeronave só voou para o aeroporto de Gatwick duas semanas depois que o A350 da rival British Airways – o jato estreou neste final de semana em voos para Madri.


A intenção da Virgin é utilizar o A350 no lugar do Boeing 747 e também dos A340-600 remanescentes de sua frota. Com quatro motores, as duas aeronaves têm um consumo de combustível proibitivo atualmente. O objetivo é que até 2021 o birreator da Airbus já tenha tomado o lugar dos antigos jatos.

“Pegada sonora”

Além disso, a companhia tem reforçado o caráter “ecológico” do A350, que além de ser mais econômico, é bem mais silencioso que o “Jumbo”. A Virgin até divulgou uma imagem curiosa, que mostra a área em torno da pista 27R do Aeroporto de Heathrow, em Londres, afetada pelo ruído dos motores, chamada em inglês de ‘footprint’ (pegada). No jato da Airbus ela é sensivelmente menor que no 747 e se restringe ao entorno da própria pista.

O A350 da Virgin Atlantic conta com um diferencial, o bar “Loft”, espaço que a companhia aérea pretende utilizar para que seus passageiros socializem durante o voo.


A frota de longo alcance da Virgin deve contar em breve com o A330neo, encomendado neste ano, que se juntará ao Boeing 787 e o recém recebido A350.

Em azul a área afetada pelos ruídos dos motores do 747 em Heathrow em vermelho, a do A350 (Virgin)

Veja também: Virgin Atlantic vai voar de Londres para São Paulo em 2020