A United também eliminou o serviço de duty-free a bordo de suas aeronaves para redução de peso (Divulgação)

A United também eliminou o serviço de duty-free a bordo de suas aeronaves para redução de peso (Divulgação)

A companhia aérea United Airlines, dos Estados Unidos, adotou um pacote de iniciativas para tornar seus voos mais sustáveis e eficientes. Entre as mudanças realizadas, destaca-se a diminuição de 28 gramas de cada exemplar de sua revista de bordo, Hemispheres, com a adoção de um tipo de papel mais leve.

Como explica a companhia, o número parece pequeno, mas se levado em consideração a quantidade de voos que a empresa realiza, cerca de 4.500 por dia, obtém-se uma grande diferença. A United estima que a redução no peso da revista deve poupar, sozinha, o consumo anual de 171 mil galões (cerca de 80,9 mil litros) de combustível, quantidade avaliada em cerca de US$ 290 mil (o equivalente a R$ 942,3 mil).



Outra medida implementada pela companhia foi a interrupção da venda de produtos duty free dentro dos aviões, que pode economizar 1,4 milhão de galões (5,1 milhões de litros) de combustível por ano, o equivalente a US$ 2,3 milhões. Em 2017, a empresa também iniciou a instalação de winglets Split Scimitar em 41 Boeings 757-200 para melhorar a aerodinâmica das asas e ajudar na economia de, em média, 30 galões (113,5 l) de combustível por voo.

A United espera que a adoção dessas medidas reduza em 30 mil toneladas as emissões de dióxido de carbono de sua frota em 2018, o que seria o equivalente a retirar 6.400 carros de circulação no mesmo período.

Os winglets Split Scimitar reduzem a resistência aerodinâmica do avião (Divulgação)

Os winglets Split Scimitar reduzem a resistência aerodinâmica do avião, tornando-o mais eficiente (Divulgação)

Além das soluções aerodinâmicas e a redução de peso das aeronaves, a United também conta com uma programa de lavagem de motores que colabora com a economia de combustível. Considerando apenas a aplicação do projeto nos aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e no Galeão, no Rio de Janeiro, a medida ajuda a diminuir o consumo de combustível da aeronaves em cerca de 130 mil galões (492 mil litros) por ano, resultando na redução de emissão de 1.285 toneladas de CO₂ nos céus brasileiros.

Veja mais: Qatar Airways revela interesse em jato comercial supersônico