Além do Brasil, o Super Tucano também é operado por forças aéreas de outros 11 países (FAB)

Além do Brasil, o Super Tucano também é operado em forças aéreas de outros 11 países (FAB)

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, e Jair Bolsonaro conversaram nessa terça-feira (22) sobre a possibilidade do país no leste europeu comprar aviões Super Tucano e examinar a aquisição do cargueiros KC-390 da Embraer. O relato foi feito pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, citado pelo jornal Valor Econômico.

De acordo com a publicação, os dois presidentes se encontraram por 30 minutos em Tóquio, no Japão, onde ambos participaram da cerimônia de entronização do imperador Naruhito.


O interesse dos ucranianos no Super Tucano não é de hoje. Em agosto deste ano, uma comitiva da força aérea da Ucrânia esteve no Brasil para avaliar o avião de ataque leve da Embraer operado pela Força Aérea Brasileira (FAB). Antes disso, em junho de 2018, a própria fabricante já havia sugerido o país como um potencial cliente para a aeronave militar.

A grande novidade agora é o interesse da Ucrânia em avaliar o KC-390, embora as chances de um acordo ser muito remota. A própria indústria ucraniana conta com uma aeronave com características semelhantes a do jato militar fabricado no Brasil, o Antonov AN-178. Além disso, o país já encomendou 13 unidades do cargueiro, que ainda está em fase de testes e certificação.

Compare o An-178 com o KC-390, da Embraer

Até o momento, o único comprador estrangeiro confirmado do KC-390 é a força aérea de Portugal, que em agosto assinou um acordo de 827 milhões de euros para adquirir cinco aeronaves com a primeira entrega programada para 2023. Já o Super Tucano é o avião militar brasileiro de maior sucesso no exterior e atualmente é operado em 11 países.

Veja mais: FAB recebe primeiros jatos Phenom 100 da Embraer