Representantes da DRA, governo alemão e da Saxonia anunciam o relançamento da produção do Dornier 328 (SMWA/Bonss)

Como previsto, o antigo turbo-hélice Dornier 328 voltará ser produzido na Alemanha graças à uma iniciativa que envolve a empresa 328SSG, o governo do país e o estado da Saxônia, onde ficará a linha de montagem da aeronave.

A 328SSG, que detém os direitos da aeronave, é propriedade da americana Sierra Nevada, conhecida entre outras iniciativas por vender o Super Tucano da Embraer nos EUA. O objetivo do programa é relançar o turbo-hélice com novo nome, D328Neu, a partir de uma fábrica a ser montada no Aeroporto de Leipzig com as primeiras unidades sendo entregues em 2023.


Para isso será criada uma nova empresa, a DRA, que pretende contratar 250 funcionários para a empreitada. O grupo, no entanto, não detalhou como será a versão aprimorada do turbo-hélice 328, apenas que ele vai “explorar tecnologias e capacidades futuras para produzir uma aeronave mais eficiente, econômica e ambientalmente correta”.

328Jet

A iniciativa está sendo vista como o retorno de um fabricante de aeronaves de grande porte genuinamente alemão, embora a Airbus tenha parte da sua produção no país. Com capacidade para 33 passageiros, o 328 foi um turbo-hélice que chegou tardiamente ao mercado de aviões regionais, então já dominado pela ATR e que contava com outros concorrentes como Bombardier, Embraer, British Aerospace e Saab.

Criado pela Dornier na década de 80, o avião de asa alta só voou pela primeira vez em 1991 e entrou em serviço dois anos depois. Em quase uma década de produção, 220 unidades foram entregues. Em 1996, a Dornier foi vendida pela Deutsche Aerospace para a americana Farchild Aircraft, dando origem a Farchild Dornier, que assumiu o projeto do 328Jet, uma variante a jato da aeronave equipada com dois turbofans PW306. Com essa proposta, o modelo teve 110 encomendas e a empresa chegou a estudar versões alongadas do jato, o 428Jet e o 728Jet.

A versão a jato 328Jet teve 110 unidades fabricadas, metade do turbo-hélice (Aero Icarus)

No entanto, em 2002, a fabricante faliu e seu espólio foi adquirido pela empresa AvCraft Aviation que chegou a entregar algumas unidades antes de ser transformada em outra empresa, a M7 Aerospace. Foi nessa época, em 2006, que a 328 Supoort Services GmbH, da Alemanha, acabou comprando os direitos de projeto da aeronave com o intuito de assumir a responsabilidade pelo suporte e manutenção da frota ativa.

Segmento esquecido

A empresa alemã estudou relançamentos da aeronave, inclusive com um parceria com a Turquia, porém, apenas após ser adquirida pela Sierra Nevada os planos de retomar a produção foram viabilizados.

É cedo para afirmar que a decisão é acertada, mas de fato trata-se de um segmento esquecido na aviação regional atualmente. Apenas a ATR possui uma aeronave com capacidade próxima, o ATR 42, ainda assim maior que o Dornier 328. A DRA, no entanto, tem nas mãos um projeto promissor. O 328 foi cosiderado na época um avião regional veloz e silencioso, o que demonstra as possibilidades de uma variante avançada.

Ilustração no site DRA mostra o D328Neu, mas sem detalhar novidades (DRA)

Veja também: Fabricar aviões comerciais não é para amadores