(Instagram)

Quem tirar uma foto como essa na ilha Phuket pode se dar mal… (Instagram)

A praia Mai Khao ao lado do movimentado aeroporto da ilha Phuket, no sul da Tailândia, há anos vem atraindo turistas em busca da “foto perfeita”. Muitos banhistas que visitam o local tiram fotografias de si mesmo com aviões ao fundo e postam essas imagens em suas redes sociais. As autoridades tailandesas, porém, estão furiosas com essa prática e ameaçam punir esses visitantes com a sentença máxima do país, a pena de morte.

As autoridades, contudo, não explicaram como tirar fotos de aviões pode representar um perigo, mas acredita-se que isso esteja relacionada ao potencial de distrair os pilotos. Apesar do avisos, turistas seguem fazendo suas selfies na praia na rota de pouso e decolagens das aeronaves.


Wichit Kaewsaithiam, vice-gerente geral do aeroporto internacional de Phuket, disse ao jornal Bangkok Post, que uma “zona de segurança” está sendo preparada na praia para evitar que os turistas tirem suas fotos muito próximos dos aviões. “Queremos que tanto a renda do turismo quanto a segurança da aviação coexistam.”

“Estamos montando uma zona de segurança que será categorizada como uma área estritamente proibida que não permite que pessoas e turistas tirem fotos. Além desta área, os visitantes ainda podem vir tirar fotos como sempre”, disse Kaewsaithiam.

O gerente do aeroporto também alertou os turistas sobre o uso de drones na área e canetas com apontadores laser, que podem distrair os pilotos.


Qualquer pessoa considerada culpada por distrair os pilotos pode ser punida de acordo com o regulamento da Lei de Navegação Aérea da Tailândia. As punições menos incluem multa de até 40.000 baht (cerca de R$ 4.800), de cinco a 20 anos de prisão, prisão perpétua e, claro, a pena de morte, que na Tailândia é realizada por injeção letal.

Monrudee Gettuphan, diretor do aeroporto de Phuket, disse anteriormente ao noticiário local The Phuket News, que as autoridade estavam “preocupadas com a segurança de moradores e turistas que usam a área enquanto tiram selfies perto dos aviões”.

“As pessoas precisam ficar longe da zona restrita. Queremos impedir que qualquer objeto ou material desconhecido prejudique as pessoas, ou até que sua audição seja prejudica pelo ruído dos motores da aeronave”, completou o diretor.

Veja mais: Azul adota sistema para rastrear aviões em tempo real