(Divulgação)

O veículo aéreo autônomo da Boeing tem alcance estimado em cerca de 80 km (Divulgação)

A Boeing também tem seus planos para o novo segmento dos táxis voadores que começa a ganhar forma. A fabricante norte-americana concluiu nesta semana o primeiro voo de teste com seu protótipo de veículo aéreo de passageiros autônomo (PAV), em Manassas, Virgínia, nos Estados Unidos.

O projeto é obra da Boeing NeXt, divisão que lidera os esforços do grupo Boeing no setor de mobilidade aérea urbana, em parceria com a Aurora Flight Sciences, outra subsidiária do grupo americano que desenvolve conceitos de aviões elétricos de pouso e decolagem vertical e equipados com comandos autônomos.


Como explicou a Boeing, o protótipo do PAC completou uma decolagem controlada, pairou e logo em seguida pousou com segurança, testando os controles autônomos e os sistema de controle de solo do veículo. Para os próximos ensaios está programada a transição entre os modos de voo vertical e de voo direto.

“Em um ano, evoluímos de um projeto conceitual para um protótipo voador”, disse o diretor de tecnologia da Boeing, Greg Hyslop. “A experiência e a inovação da Boeing têm sido fundamentais no desenvolvimento da aviação como a forma de transporte mais segura e eficiente do mundo, e continuaremos a liderar com uma abordagem segura, inovadora e responsável para novas soluções de mobilidade”.

(Boeing)

A estreia desse novo tipo de transporte aéreo ainda depende de grandes mudanças nas legislações aeronáuticas vigentes (Boeing)

Alimentado por um sistema de propulsão elétrica, o protótipo PAV é projetado para um voo totalmente autônomo da decolagem ao pouso, com alcance de até 80 km. A aeronave decola com o impulso vertical de quatro motores elétrico e na fase de voo direto ainda tem ajuda de mais um motor “pusher” na traseira.

“Isso é o que a revolução parece, e é por causa da autonomia”, disse John Langford, presidente e diretor executivo da Aurora Flight Sciences. “A autonomia certificável vai tornar a mobilidade aérea urbana silenciosa, limpa e segura possível”.

Além de desenvolver o táxi voador, a Boeing NeXt também trabalha com agências reguladoras do setor aeronáutico para ajudar a criar o que ela chama de um novo “ecossistema de mobilidade” e garantir um futuro em que veículos aéreos autônomos e pilotados coexistam com segurança.

(Divulgação)

A Boeing é apenas mais uma empresa apostando nesse novo segmento, também explorado pela Airbus,  Embraer e o Uber (Divulgação)

“A Boeing estava lá quando a indústria da aviação nasceu e, no nosso segundo século, vamos liberar o potencial do mercado de mobilidade aérea urbana”, disse Steve Nordlund, vice-presidente e gerente geral da Boeing NeXt. “Da construção de veículos aéreos à integração do espaço aéreo, vamos inaugurar um futuro de mobilidade segura e de baixo estresse em cidades e regiões ao redor do mundo”.

Veja mais: 10 drones de passageiros que podem mudar o transporte urbano