O EHang 184 realizou mais de 1.000 voos nos últimos meses na China (Divulgação)

O EHang 184 realizou mais de 1.000 voos nos últimos meses na China (Divulgação)

Dois anos após ser apresentado na feira de tecnologia CES 2016, em Las Vegas, o táxi voador chinês Ehang 184 provou que já pode voar de forma autônoma e com passageiros. A fabricante divulgou nessa segunda-feira (5) um vídeo no Youtube que mostram os primeiros voos do aparelho realizados na China nos últimos meses.

Segundo a empresa chinesa, foram executados mais 1.000 voos com o aparelho transportando passageiros em diversas situações, incluindo testes noturnos e com condições climáticas adversas, como fortes ventos e densas neblinas. A fabricante também provou a aeronave em diferentes configurações de posição dos motores.

Como mostra o vídeo publicado pela fabricante, o modelo 184 voou a 300 metros de altitude, transportar mais de 230 kg, seguiu rotas com cerca de 15 km de extensão e alcançou a velocidade 130 km/h. “Os sistemas operacionais (do Ehang 184) estão entre os mais avançados existentes na aviação. Já voei em muitos helicópteros, mas nada como isso”, disse Hu Huanzhu, fundador e CEO da Ehang.

O Ehang 184, que mais parece um drone gigante, é impulsionado por oito motores elétricos e pode carregar um ou dois passageiros. Segundo os projetistas, o modelo tem autonomia de voo de 23 minutos e será operado na velocidade média de 100 km/h. A empresa ainda garante que as baterias da aeronave poderão ser recarregadas em cerca de uma hora.

Para garantir a segunça nas viagens de táxi voador, a EHang planeja criar uma central para acompanhar tem tempo real o voo de todos os aparelhos e intervir com comandos manuais remotos, operados por um piloto profissional, se necessário.

Ainda de acordo com a empresa, a aeronave ainda será capaz de tomar decisões por conta própria. No caso de uma emergência, o veículo poderá avaliar a situação inesperada, como um colisão com pássaro ou condições climáticas ruins para o voo, e tomar as medidas de segurança mais adequadas. Dependendo da gravidade da ocorrência, a central poderá abortar o voo.

Os comandos e navegação do 184 são orientados por sensores capazes de detectar objetos próximos. O único controle presente no aparelho é um botão de emergência, que ao ser acionado pelo ocupante faz a aeronave pousar imediatamente.

“Isso não pode dar errado. Existe uma pessoa a bordo e se alguém se machucar a culpa será minha”, disse o CEO da empresa chinesa.

Apesar do projeto já ter alcançado um fase avançada de desenvolvimento e testes, a Ehang ainda não tem uma previsão para a chegada do veículo ao mercado.

Veja mais: Airbus completa primeiro voo com o táxi voador Vahana