A maquete do “Slon” (Elefante): testes aerodinâmicos pela frente (TsAGI)

O Instituto Central de Aerodinâmica da Rússia, conhecido pela sigla TsAGI, divulgou a primeira imagem de um modelo em escala do “Slon” (Elefante), apelido do projeto de aeronave de transporte super pesado que tem o objetivo de substituir o An-124, da Antonov.

A maquete será usada em estudos aerodinâmicos para testar as características do projeto em um túnel de vento. Com 1,63 metro de comprimento e envergadura de 1,75 metro, a réplica pode ser reconfigurada a fim de testar várias soluções com caudas diferentes, winglets ou tipos de trens de pouso.


“A fabricação do modelo da aeronave de transporte pesado Slon foi realizada usando máquinas de alta precisão. O mais demorado foi o trabalho na asa, que possui uma forma espacial complexa para garantir altas características aerodinâmicas nos modos de cruzeiro “, disse Andrei Sidorov, vice-chefe do departamento tecnológico do instituto.

O Slon é uma das maiores ambições da indústria aeronáutica russa que atualmente não possui aeronaves de grande porte, tarefa que cabia à ucraniana Antonov. Com os embates entre a Rússia e a Ucrânia em anos recentes, o relacionamento entres os dois países estremeceu, prejudicando a operação dos jatos An-124, entre outros projetos.

Projeção do “Elefante” (Slon em russo), jato cargueiro de grande porte da Rússia (TsAgi)

A solução encontrada pelo presidente Vladimir Putin foi estimular uma solução caseira, o Slon, que lembra bastante o An-124, com suas asas altas, quatro motores e o formato da fuselagem.

No entanto, o projeto do TsAGI é mais ambicioso: utilizará turbofans PD-35, mais potentes e econômicos, e construção com partes em materiais compostos para reduzir seu peso. A intenção é que o super cargueiro seja capaz de transportar até 180 toneladas, 30 a mais que o An-124 em sua variante mais recente, ou 60 acima da capacidade original.

O alcance é estimado em 7.000 km com 150 toneladas ou quase 5.000 km com 180 toneladas de carga. Ainda não está claro qual divisão russa poderá montar o gigantesco avião, caso o governo autorize sua fabricação.

A imprensa local afirmou em outras ocasiões que a companhia aérea Volga-Dnepr seria uma das interessadas em operar o novo avião no lugar dos Antonov, mas a empresa de carga está passando por problemas financeiros atualmente.

A companhia russa Volga-Dnepr Airlines é o principal operador do AN-124, com 12 unidades em serviço (Eric Prado)

A companhia russa Volga-Dnepr Airlines é o principal operador do AN-124, com 12 unidades em serviço (Eric Prado)

Veja mais: Antonov vai retomar produção do An-124 sem ajuda da Rússia