Gigante da Ásia: a JAL é a segunda maior companhia aérea do Japão, atrás da ANA (Airbus)

Polêmico para alguns, alívio para outros. O sistema de reservas da companhia Japan Airlines (JAL) agora avisa aos clientes com antecedência sobre quais assentos da aeronave serão ocupados por bebês e crianças.

O novo recurso da empresa japonesa mostra um ícone de bebê no mapa de assentos do avião que já estão reservados para os pequenos passageiros entre 8 dias e dois anos de idade, permitindo aos viajantes que não tem muita paciência com crianças se acomodar o mais longe que desejar. Já os pais terão a oportunidade de saber que estarão sentados ao lado de ocupantes mais simpáticos.


A JAL, no entanto, alerta que o novo recurso não garante que os passageiros ficarão distante de crianças. O ícone do bebê não aparecerá sem os clientes reservarem seu voo através de terceiros ou se fizerem parte de um grupo de turismo. Há também o “risco” de mudanças de última hora, informa a empresa em seu site.

Como era de se esperar, a nova ferramenta online da JAL gerou diferentes reações nas redes sociais, que vão de elogios a duras críticas.

Pelo Twitter, Rahat Ahmed escreveu: “Obrigado JAL por me avisar sobre onde os bebês planejam gritar e berrar durante uma viagem de 13 horas. Isso realmente deveria ser obrigatório em todos os aspectos”. Em outro tweet, o usuário da rede social acrescentou que “adultos podem ser tão ruim quantos os bebê” e que a “empatia é importante e todas as situações são diferentes”.

O post de Ahmed gerou um intenso debate sobre crianças em aviões. Uma pessoa disse: “No meu último voo de 9 horas para Vancouver, as crianças estavam correndo pelo corredor, sendo barulhentas e chutando assentos; infelizmente, os pais não fizeram nada a respeito! Pais, por favor, ensinem seus filhos a serem atenciosos com outros quando estão em um espaço público!”

A maioria das reações, no entanto, apontou que os passageiros devem tentar simpatizar com os pais que viajam com crianças pequenas. Alguém escreveu: “Todas essas pessoas que não conseguem ficar sentadas ao lado de crianças pequenas precisam se superar – tente ser atencioso e perceber que há coisas piores no mundo do que sentar ao lado de uma criança chorando”.

O sistema de reservas da JAL mostra um ícone de bebê nos assentos já reservados para crianças (JAL)

Outro usuário do Twitter tentou entender os dois lados da discussão, escrevendo: “Bem, acho que é uma boa ideia. Não impede as pessoas de viajarem com seus bebês; apenas dá às pessoas a opção de se sentarem mais distantes. Não vejo o problema.”

Heloisa Flores, moderadora da fan page da JAL no Facebook, disse a rede ABC que a ferramenta reflete as tradições japonesas de deslocamento.

“Acho que esse novo recurso está tentando tornar a experiência de viajar de avião mais parecida com a de ônibus, trens ou Shinkansen (trem-bala), que são muito silenciosos”, disse Heloisa. “Geralmente, isso se deve ao respeito pelos trabalhadores que estão se preparando para trabalhar longas horas ou estão voltando do trabalho.”

Veja mais: Delta Air Lines insinua que pode comprar até 200 jatos Boeing 797