O Raider X: Sikorsky quer ganhar concorrência com proposta mais ousada (Sikorsky)

Dias depois de a Bell revelar o 360 Invictus, um helicóptero de projeto convencional para o programa FARA do Exército dos EUA, foi a vez da Sikorsky apresentar o Raider X, seu concorrente para um helicóptero de escolta e reconhecimento e que utiliza a inovadora tecnologia X2.

O conceito do helicóptero da fabricante reúne rotores coaxiais rígidos contrarrotativos que atuam em conjunto com uma hélice propulsora na parte traseira, combinação testada pelo protótipo S-97 Raider e também pelo SB-1 Defiant, que participa de outra concorrência do exército em parceria com a Boeing.


O Raider X, por sua vez, surpreendeu pelo projeto mais versátil que o Invictus, com uma cabine maior em que os tripulantes são acomodados lado a lado – no Invictus eles ficam em tandem, como em helicópteros de ataque.

A aposta da Sikorsky está sobretudo na velocidade: o Raider X é capaz de superar 250 nós (460 km/h) contra cerca de 180 nós (330 km/h) do rival da Bell – mas que atende o requisito mínimo da competição. A tradicional fabricante de helicópteros (que é parte da Lockheed Martin) promete também alta manobrabilidade, facilidade para upgrades por meio de sistemas plug-and-play e baixos custos operacionais.

Entre os recursos do Raider X estão o teto de serviço acima de 9.000 pés (2.740 metros), capacidade de manobras em baixa e alta velocidade com um ângulo de até 60 graus, controles de vôo otimizados e mitigação de vibrações.

“O Raider X é resultado de décadas de desenvolvimento e uma declaração de nossa inovação e paixão por solucionar as necessidades de nossos clientes”, disse Dan Schultz, presidente da Sikorsky. “Com a colaboração estreita com a Lockheed Martin, forneceremos a única solução que dará ao Exército dos EUA a superioridade necessária para atender às exigências de sua missão”, prometeu o executivo.

O Bell 360 Invictus: proposta mais convencional para o Exército dos EUA (Bell)

Pressa

O Exército dos EUA tem pressa em chegar a um veredicto no programa FARA (Future Attack Reconnaissance Aircraft ou Aeronave futura de reconhecimento e ataque). Trata-se de uma função que hoje está a cargo do AH-64 Apache de forma provisória após a aposentadoria dos antigos OH-58 Kiowa, versão militar do conhecido Bell 206.

O Pentágono quase chegou a ter um sucessor há vários anos, o RAH-66 Comanche, um helicóptero de design stealth, mas que se mostrou um enorme erro de projeto. Agora, o objetivo é colocar os concorrentes sob pressão para apresentaram soluções viáveis e ao mesmo tempo econômicas e sobretudo velozes.  A ideia é operar o novo helicóptero de escolta e reconhecimento a partir de 2028. Além da Bell e da Sikorsly, participam da concorrência a Boeing e as startups AVX Aircraft e Karem Aircraft que ainda não apresentaram sua propostas.

Veja também: Exército dos EUA testará cinco protótipos em programa de novo helicóptero de escolta