Imagem aérea do Le Bourget, em Paris, um dos maiores eventos de aviação do mundo (Divulgação)

Imagem aérea do Le Bourget, em Paris, um dos maiores eventos de aviação do mundo (Divulgação)

Assim como a cidade de São Paulo (SP) recebe a cada dois anos o Salão do Automóvel, o Rio de Janeiro (RJ) vai sediar o “Salão da Aviação”. O Grupo Sator anunciou nessa segunda-feira (4) o lançamento oficial do International Brazil Air Show (IBAS), que será realizado de 29 de março a 2 de abril de 2017, no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão).

“A ideia de fazer um evento como o IBAS é antiga, mas a provocação foi feita pela FAA (órgão de administração de aviação civil dos EUA) em um evento de aeroportos que realizados em setembro de 2014. De lá pra cá iniciamos as negociações e o planejamento para a realização do evento, contou Paula Faria, diretora executiva do Grupo Sator, em entrevista ao Airway.

A “provocação” citada por Paula partiu de Michael Huerta, diretor geral da FAA. O executivo norte-americano questionou o fato do Brasil ter o segundo maior mercado de aviões executivos do mundo e uma das taxas de crescimento mais aceleradas da aviação comercial, mas não ter nenhum grande evento sobre o tema – atualmente, o maior evento de aviação brasileiro é a Labace.

“Acreditamos que o mercado Latino Americano, liderado pelo Brasil que possui o maior mercado aeroespacial do hemisfério sul, tem potencial para um evento deste porte. Nesta primeira edição esperamos atrair mais de 120 mil pessoas, sendo 30 mil parte do público de negócios. Também planejamos reunir 300 marcas e mais de 50 aeronaves em exposição”, contou Paula Fria, diretora executiva do Grupo Sator, em entrevista ao Airway.

A criação do IBAS foi uma resposta a uma "provocação" da FAA, contou Paula Faria, diretora do Grupo Sator (Divulgação)

A criação do IBAS foi uma resposta a uma “provocação” da FAA, contou Paula Faria, diretora do Grupo Sator (Igor Nogueira)

Segundo os organizadores, o evento vai receber um investimento total de R$ 7 milhões e reunirá empresas dos setores aeroespacial e aeroportuário, aviação comercial, militar e executiva, além da cadeia de fornecedores. “Embraer, Boeing, Airbus, Bombardier, Honeywell, Rockwell Colins e outras líderes do mercado mundial já manifestaram interesse na participação”, afirmou Paula Faria.

Por que o Rio de Janeiro?

Como explicou Paula Faria, o Galeão foi escolhido por possuir a infraestrutura necessária para a realização de um evento desta natureza, com um acesso para o público separado do aeroporto. “Isso garantirá a segurança e a comodidade tanto dos usuários do aeroporto como dos participantes do evento”, contou a diretora-executiva.

Em relação ao porte do IBAS, Paula Faria revelou suas inspirações. “O Brasil merece um evento de porte semelhante aos melhores do mundo, por isso nos inspiramos no Le Bourget, na França, e temos a FIDAE (evento de aviação realizado no Chile) como parceira”, afirmou.

O IBAS ocupará uma área de 40 mil metros quadrados no Terminal de Cargas do Galeão, englobando seminários, palestras, workshops, rodadas de negócios, exposições de aeronaves e equipamentos, shows aéreos e acesso a simuladores de voo. O valor dos ingressos ainda não foi definido.

Nota do editor: Estamos tão ansiosos e empolgados com o IBAS quanto vocês, caros leitores. Nos encontramos no Rio de Janeiro em 2017!

Veja mais: Fabricantes de carros que já construíram aviões