(SAAB)

O motor usado no Gripen E pode gerar até 22.000 libras de empuxo (SAAB)

A SAAB divulgou nesta semana um vídeo onde mostra a instalação do motor no primeiro caça Gripen E (também chamado de Gripen NG) destinado a Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave está na fase final de construção e deve realizar seu voo inaugural nos próximos meses, a partir da sede da fabricante sueca, em Linköping, e será entregue a FAB até o final deste ano.

O motor usado no novo Gripen é o turbofan F414-GE-39E, desenvolvido pela General Eletric e capaz de gerar até 22.000 libras de empuxo com pós-combustor acionado. São 4.000 libras de empuxo a mais que o propulsor usado na versão anterior do caça, o Volvo RM12.


Com esse motor, o Gripen E é capaz de voar em cruzeiro supersônico sem precisar acionar o pós-combustor, o que reduz o consumo de combustível, e com força total (usando o pós-combustor) o caça pode alcançar a velocidade máxima de Mach 2 (2.469 km/h). O novo propulsor da General Eletric também será utilizado do Gripen F, a versão da aeronave militar para dois pilotos.

A forte aceleração do motor F414-GE-39E permite ao Gripen E decolar com peso máximo de 16.500 kg em apenas 500 metros de pista, seja em um aeroporto ou até a partir de uma rodovia.

Versões anteriores do turbofan usado no novo Gripen já são utilizadas no caça naval Boeing F/A-18 Super Hornet e também é proposto para equipar os caças leves KAI KF-X, em desenvolvimento na Coreia do Sul, e o HAL Tejas, projetado na Índia.


Gripen “Made in Brazil”

A Força Aérea Brasileira encomendou um total de 36 caças Gripen, sendo 28 modelos Gripen E monopostos e mais oito modelos “F”, para dois pilotos. O contrato avaliado em US$ 5,4 bilhões também inclui a transferência de tecnologia da Saab que permite construir a aeronave no Brasil, tarefa que será realizada pela Embraer e outras empresas brasileiras.

A produção nacional do Gripen será concentrada na unidade da Embraer em Gavião Peixoto (SP). Ao todo, a fabricante brasileira vai produzir de forma integral 15 caças, sendo oito modelos monopostos e sete bipostos. O pedido deve ser concluído até novembro de 2024, segundo a programação da FAB.

Veja mais: Embraer inicia modernização de último caça AF-1 da Marinha