Sukhoi Su-57 decola: estreia na Síria (Alexei Karpilev/UAC)

Numa ação inusitada, a força aérea da Rússia decidiu enviar quatro protótipos do novo caça stealth Sukhoi Su-57 para a Síria na semana passada. Os caças de combate participam de “exercícios operacionais e de combate”, segundo um curto comunicado do Ministério da Defesa do país.

Imagens de satélite publicadas pelo site ISI revelaram dois Su-57 estacionados na base aérea síria ao lado de outros caças da Sukhoi. Segundo alguns relatos no exterior, os caças teriam seus sistemas de radar e guerra eletrônica num ambiente de “semi-combate”, mas há quem afirme que eles realizaram ataques contra posições do grupo terrorista Estado Islâmico, embora isso possa ser pouco provável diante do risco de perder um exemplar de um avião tão avançado e caro para os russos.



De acordo com a imprensa russa, a decisão de enviar o Su-57 para a Síria teria ocorrido durante a feira de aviação MAKS, que ocorreu em julho do ano passado. O objetivo aparecente seria o de acelerar o já bastante atrasado cronograma de desenvolvimento da aeronave, que possui capacidade stealth (“invisível” aos radares) e é considerado o primeiro caça de 5ª geração do país.

Estima-se que ele conseguirá manter-se a Mach 1.6 (cerca de 2.000 km/h) por um longo período de voo – a velocidade máxima do Su-57 é estimada em Mach 2. Os testes prosseguem com o novo motor e também envolvem o uso de aviônicos de última geração e que estavam ausentes nos primeiros oito protótipos.

Dois caças Su-57 são vistos em imagem de satélite na Síria (ISI/Reprodução)

Um século do Exército Vermelho

Já se vão exatos oito anos desde o primeiro voo do Su-57, então chamado pela designação T-50. Após várias promessas de adquirir centenas de unidades do caça da Sukhoi, a força aérea do país decidiu receber 12 unidades a partir do ano que vem. O caça avançado ainda não voa com seu motor definitivo, hoje em testes em um dos protótipos.

Se os exercícios serão bem sucedidos ou não, pouca gente deverá saber, mas o fator simbólico já está valendo: em 2018 o Exército Vermelho completa 100 anos de existência.

Dois protótipos do caça Su-57 (Anna Zvereva)

Veja também: Caça F/A-18E abate Su-22 da Síria