Capa do livro "O Código das Profundezas"

Capa do livro “O Código das Profundezas”

O tema de nossa página não são objetos navais, mas o livro “O Código das Profundezas” do pesquisador brasileiro Roberto Lopes, que aborda as ações dos submarinos argentinos durante a Guerra das Malvinas, também reúne uma coleção de histórias sobre operações aéreas argentinas e britânicas durante o conflito, que aconteceu entre abril e junho de 1982.

A força de submarinos argentinos, que poderia ser uma terrível ameaça para a marinha britânica, demonstrou um pífio desempenho durante os conflitos devido a uma série de problemas, que começavam com as péssimas condições de operação dos submersíveis passando pelo despreparo das tripulações a atitude literalmente insana dos generais e almirantes argentinos que partiram para a guerra sem o suporte adequado.


Entre detalhes dos barcos a histórias da Armada Argentina que precederam ao conflito com a Inglaterra, como a Crise de Beagle com o Chile, o livro relata como foi o dia-a-dia das tripulações nos submarinos ARA S-21 Santa Fe e ARA S-31 Salta, que apresentavam uma série de falhas a cada milha que viajavam. Os aparelhos estavam com computadores de tiro comprometidos, torpedos montados de forma errada, problemas nos motores e baterias e sérias dificuldades para submergir, tornando-os praticamente inúteis no conflito. Mesmo assim, eles foram para o mar.

Alguns dos episódios aéreos narrados no livro são o famoso ataque argentino com mísseis AS.39 Exocet, que foram lançados de caças Dessault Super Etendard após um P-2 Neptune de vigilância marítima descobrir a posição da frota britânica. Essa investida custou aos ingleses o afundamento do destróier Sheffield. Outra ação contada pelo autor com detalhes é o ataque britânico ao submarino argentino Santa Fe, que foi alvejado por torpedos, cargas de profundidade, mísseis e tiros de metralhadora lançados de helicópteros, como o Westland Lynx.

O porta-aviões argentino 25 de Mayo também aparece nas histórias no autor, que conta sobre as investidas dos S-2 Tracker em busca da frota inglesa e as missões de ataque realizadas pelos Douglas A-4 Skyhawk, que lutaram bravamente para tentar impedir o desembarque das tropas britânicas nas ilhas, que voltariam a se chamar Falkland.

O Código das Profundezas é uma história e tanto para entusiastas do mundo bélico e curiosa por se tratar de um conflito que aconteceu tão perto do Brasil. O livro combina momentos de leitura fácil e dinâmica com episódios técnicos, que são essenciais para entender a complexidade da guerra submarina durante o conflito nas Ilhas Falkland. É para ler com calma.


Nota do editor – Leu ou sabe de algum livro interessante sobre aviação? Indique para nós! Escreva para thiagovinholes@airway.com.br