O quarto protótipo do C919: homologação na China ainda em 2019 (COMAC)

O lento e complicado programa de desenvolvimento do jato comercial C919 acaba de contar com mais uma aeronave de testes. O quarto protótipo do avião chinês produzido pela COMAC realizou seu voo inaugural nesta quinta-feira em Xangai.

O C919 é o mais ambicioso jato comercial chinês. Com porte muito parecido com o Airbus A320, o birreator de um corredor foi lançado em 2008 e atualmente acumula mais de 1000 pedidos entre encomendas firmes e compromissos de compra – praticamente todos eles de empresas e órgãos da China.


Apesar disso, não se deve menosprezar o C919. Embora tenha enfrentado enormes dificuldades desde então, com o primeiro voo ocorrendo apenas em 2017, o jato da COMAC pode se transformar em uma dor de cabeça para a Boeing e Airbus.

Consta que seu preço é cerca de 50% mais barato que um 737 ou A320, o que é algo sem paralelo na aviação. O C919 utiliza uma fuselagem e asas com materiais compostos além de motores Leap-1C fornecidos pela CFM, como seus rivais ocidentais – embora também esteja preparado para receber um turbofan chinês, o CJ-1000AX, em desenvolvimento.

Seus aviônicos são fornecidos por empresas ocidentais e boa parte do programa de homologação segue padrões dos EUA e Europa, já em preparação para possíveis encomendas de companhias aéreas de fora da China.


Entrada em serviço em 2021

Chamado pela COMAC de “Aeronave 104”, o quarto protótipo realizou um voo de 1 hora e 25 minutos focado em testes de decolagem, pouso e aviônicos. A aeronave, ao contrário das anteriores, ainda não exibe uma pintura completa.

O objetivo da fabricante chinesa é homologar o C919 neste ano e colocá-lo em operação em 2021 após reconhecer que o atraso no desenvolvimento do avião já não possibilitava a entrada em serviço no ano que vem. Mais dois protótipos se juntarão ao programa de testes ainda neste ano.

A COMAC tem cometido alguns deslizes em seu programa de testes, embora afirme que se trata de situações normais. A aeronave ficou no solo por vários meses após o primeiro voo e apresentou delaminações em partes externas. Durante esse período, a fabricante tem alterado detalhes do projeto ao mesmo tempo em que tenta ampliar seu envelope de voo.

Apesar do caminho tortuoso, o C919 pode se transformar no primeiro jato comercial fora do eixo América-Europa a realmente a chamar a atenção das companhias aéreas no mundo.

O C919 vai concorrer com os tradicionais Airbus A320 e Boeing 737 (CCTV)

O C919 vai concorrer com os tradicionais Airbus A320 e Boeing 737 (CCTV)

Veja também: Grupo chinês encomenda 300 jatos da COMAC