Primeiro protótipo do Fanjet 500, aeronave que depois foi renomeada como Citation 500 (Textron)

O grupo Textron Aviation, proprietário da marca Cessna, celebra neste mês os 50 anos do primeiro voo do Citation 500, modelo que deu origem a série de jatos executivos mais popular do mundo e que hoje soma mais de 7.500 unidades entregues.

Lançado em outubro de 1968 como Fanjet 500, o primeiro jato executivo projetado pela Cessna fez seu voo inaugural em 15 de setembro de 1969 a partir da instalação da fabricante em Wichita, no estado do Kansas. Um anos depois, a aeronave renomeada como Citation 500 foi certificada para voar nos EUA e as primeiras entregas começaram em janeiro de 1972.


“Desde o primeiro voo do Citation há 50 anos e através de todos os modelos Citation produzidos desde então, nossos programas de jatos executivos estão profundamente enraizados nos esforços combinados de nossos funcionários, fornecedores e clientes”, disse Ron Draper, presidente e CEO da Textron Aviation. “A gama Citation de hoje, desde o modelo básico Citation M2 até o Citation Longitude, incorpora nosso compromisso inabalável com inovação de valor agregado, excelência em design e produção e suporte inigualável ao cliente.”

A primeira versão do Citation chegou ao mercado norte-americano custando cerca de US$ 695.000, cifra muito inferior aos de outros jatos executivos nos anos 1970, como era o caso do Lockheed Jetstar, pioneiro nesse segmento e que podia valer mais de US$ 2,5 milhões, valor assombroso na época. Além de mais barato, o jato da Cessna era mais simples de manter e pilotar e ainda levava vantagem sobre os concorrentes com um nível de ruído considerado baixo há 50 anos atrás.

Na época de seu lançamento, o Citation 500 era considerado uma “pechincha”: custava US$ 695 mil (Textron)

O Citation 500 alcançava velocidade máxima de 650 km/h e tinha autonomia para percorrer até 2.430 km com seis passageiros, desempenho considerado notável no início dos anos 1970.

Quando a Cessna lançou o Citation 500, a categoria de jatos executivos de pequeno porte ainda engatinhava e tinha como únicos representantes os primeiros modelos da Learjet (posteriormente adquirida pela Bombardier), que estrearam em 1964, e o Hansa Jet, introduzido em 1967 e que fez pouco sucesso.

De um modelo pequeno e com design simples, o Citation evoluiu de diferentes formas ao longo dos anos e a série hoje é composta por sete modelos com capacidades entre sete e 12 passageiros. São eles o modelo de nível básico M2, os jatos leves CJ3+ e CJ4, o jato super-leve XLS+, os modelos médios Sovereign + e Latitude e o Longitude, da categoria super-médio, cujas primeiras entregas serão realizadas até o final deste ano.

Modelo mais recente da linha Citation, o Longitude chega ao mercado até o final deste ano (Textron)

“A mesma visão que levou à criação da Citation original há 50 anos ainda nos guia hoje. Estamos construindo nossa história como líder do setor e investindo no futuro para continuar a exceder as expectativas dos clientes”, disse o CEO do grupo Textron, dando a entender que a história do Cessna Citation ainda está muito longe de terminar.

Veja mais: Frota de aviões comerciais pode dobrar em 20 anos, prevê a Airbus