(Airbus)

O Aloutte III voou pela primeira vez no dia 28 de fevereiro de 1959, em Bourget, na França (Airbus)

Um dos helicópteros mais importantes da história da aviação, o Aloutte III SA3160 completa nesta quinta-feira (28) os 60 anos de seu voo inaugural, realizado em 28 de fevereiro de 1959, em Bourget, na França. Revolucionária em sua época, a aeronave foi desenvolvida originalmente pela fabricante francesa Aérospatiale, que mais adiante foi incorporada ao grupo Airbus.

O Aloutte III é uma evolução do Alouette II, o primeiro helicóptero do mundo motorizado com uma turbina, introduzido em 1957. Além do motor mais potente, com quase o dobro da potência do primeiro, o helicóptero da Aérospatiale ganhou uma cabine maior, para até seis ocupantes (dois a mais que o Aloutte II), e foi equipado com portas deslizantes.


As turbinas introduzidas em helicópteros nos anos 1960 eram mais leves e mais potente que os tradicionais motores a pistão, o que aumentou significativamente as capacidades das aeronaves de asas rotativas. Com essa mudança, elas podiam levar mais peso e voar por maiores distâncias.

Durante a parte final na campanha de certificação, o Aloutte III ainda provou ser um exímio “escalador” e pousou no topo de montanhas famosas. A primeira, em novembro 1960, foi no Mont Blanc, a quase 5.000 metros de altitude e com sete pessoas a bordo. Em outras demonstrações de sua capacidade para voos em grandes altitude, o helicóptero também pousou na montanha Deo Tibba, no Himalaia, Monte Quênia e no Kilimanjaro, a cerca de 6.000 metros em relação ao nível do mar.

(Airbus)

O Alouette III foi o primeiro helicóptero projetado para voar em grandes altitudes (Airbus)

A primeira aeronave de série foi entregue à Birmânia em 25 de julho de 1961. O Alouette III foi o primeiro helicóptero onde todo seu processo de fabricação ocorreu inteiramente em Marignane, na França, onde hoje é uma das principais sedes da Airbus Helicopter. Segundo dados do fabricante, mais de 1.400 unidades foram fabricadas para 120 clientes em 80 países. O antigo helicóptero da Aérospatiale também foi fabricado sob licença na Índia, Paquistão, Romênia e na Suíça. Atualmente, cerca de 180 aeronaves continuam em serviço.

Os principais operadores do Aloutte III foram forças armadas, em especial marinhas, com presença em mais de 60 países – e ainda operando em mais de 20. Presentes em todos os continentes, o helicóptero francês foi protagonista em diversos conflitos ao longo das últimas décadas. O “batismo de fogo” da aeronave foi realizado por Portugal, em 1963, na Guerra do Ultramar. Outro país que utilizou o modelo em situação de combate foi a Argentina, durante a Guerra das Malvinas, em 1982.

No serviço militar, o Alouette III era usado para missões de observação aérea, fotografia, resgates aéreo-marítimo, transporte e treinamento. Também podia assumir posturas de combate direto armado com mísseis antitanque, torpedos e um canhão fixo. Em funções civis, o helicóptero era comumente usado para evacuação de vítimas, muitas vezes equipado com um par de macas externas, pulverização de plantações, transporte de pessoal e para transportar cargas externas.

Veja mais: A história do Boeing “xing-ling”