O primeiro A330-900neo da TAP após receber sua pintura na Airbus (Airbus)

A Airbus divulgou em seu perfil no Twitter a foto acima que mostra o primeiro A330-900neo de produção saindo da área de pintura da fabricante em Toulouse (França). Como se vê na imagem, a TAP será a companhia aérea que lançará a versão atualizada do birreator.

Ainda sem os motores, o A330-900neo deve seguir para os trabalhos de montagem do interior e outros detalhes. Para acelerar o desenvolvimento da aeronave, que voou pela primeira vez em outubro do ano passado, também esse primeiro exemplar de produção fará parte da campanha para obter o certificado de tipo tanto da FAA (EUA) quanto da EASA (Europa), entidades que controlam a aviação civil em suas regiões.



Após desistir do A350, a TAP anunciou em 2015 a opção pelo A330neo, mais adequado à realidade da companhia portuguesa, que se recupera de um período difícil. Hoje nas mãos de um grupo de empresários que inclui David Neeleman, fundador da Azul, entre outras, a TAP encomendou 14 unidades do A330-900neo, a versão maior do jato. Eles substituirão os A330 (das versões 200 e 300) e também os quadrirreatores A340, ambos da própria Airbus, nas rotas internacionais da empresa como o Brasil.

A TAP também estreará a nova cabine Airspace, da fabricante europeia, que consiste de uma cabine com clima mais arejado, com tons mais agradáveis aos olhos e novos recursos como um sistema de iluminação LED de última geração, compartimentos de bagagens maiores, banheiros mais confortáveis e sistemas de entretenimento a bordo IFE e conectividade da mais recente geração.

Nas asas da Azul

O A330neo surgiu como uma opção mais em conta de uma aeronave widebody moderna e com capacidade um pouco inferior ao do A350XWB. Lançado em julho de 2014, o programa A330neo já acumula 212 encomendas de 12 clientes, incluindo a companhia brasileira Azul (5 unidades) que, a exemplo da TAP, preferiu trocar o A350 pelo jato.

Entre as diferenças entre o A330neo e o A330 original estão os motores Rolls-Royce Trent 7000,  partes construídas em titânio, novas asas com desenho mais eficiente e envergadura maior, sharklets para reduzir o consumo de combustível, tecnologias oriundas do A350. Em conjunto, essas modificações permitem que o A330neo possa voar mais longe e com um consumo inferior de quebra, tanto o A330-800neo (prestes a voar pela primeira vez) quanto o A330-900neo podem acomodar 10 ou mais assentos que seus antecessores.

Veja também: TAP aumenta voos entre Recife e Lisboa

Airbus A330neo decolou pela primeira em outubro de 2017