Bagagem é carregada em avião: laptops devem ser proibidos por risco de explosão (Downtowngal)

A FAA (Federal Aviation Administration), agência responsável pela aviação civil nos EUA e referência no restante do mundo, emitiu um alerta de segurança a respeito do transporte de laptops em bagagens despachadas. O risco identificado em testes é de incêndio e até explosões se o equipamento estiver próximo de uma lata de aerossol como um desodorante de 230 ml, volume permitido em viagens.

Em dez testes realizados pela FAA foi registrado que uma lata amarrada a um notebook é capaz de elevar sua temperatura a um nível em que baterias de íon de lítio podem iniciar um incêndio e surgir até mesmo uma explosão.



Além disso, o órgão constatou que o sistema de supressão de incêndio dos porões dos aviões atuais não conseguiriam evitar uma explosão. Apesar de não ser forte o suficiente para provocar danos estruturais nas aeronaves, a explosão tem potencial para permitir o vazamento de gás halogênio dos extintores e provocar uma reação em cadeia que colocaria o voo em risco. Segundo a FAA, foram necessários apenas 40 segundos de exposição ao aerossol para que ocorresse a detonação involuntária.

Objeto raro no porão

A agência americana também fez o mesmo teste com outros objetos geralmente despachados por passageiros como álcool em gel e até acetona que também provocaram incêndios mas sem risco de explosão. A ICAO, organização de aviação civil vinculada à ONU, deve ratificar a sugestão da FAA nas próximas semanas. Por enquanto, a FAA tem recomendado evitar o despacho em voos de longa duração, mas a medida pode afetar voos locais pelo risco de transferir equipamentos maiores em conexões.

O teste da FAA revelou que bastam apenas 40 segundos para aerossol explodir em contato com um laptop (Reprodução/FAA)

As baterias de íon de lítio passaram a ser usadas em larga escala em celulares e computadores pelo seu grande potencial de armazenamento de energia, porém, exigem mais cuidados no manuseio. Embora não tenha fornecido números, a quantidade de passageiros que despacham esse tipo de equipamento, de valor elevado, é bem pequena. Já o transporte desses itens na cabine de passageiros segue sem alterações.

Veja também: Aviões turbo-hélices são seguros?