O Pilatus PC-24 pode ser configurado para transportar 10 passageiros (Pilatus Aircraft)

O Pilatus PC-24 pode ser configurado para transportar 10 passageiros (Pilatus Aircraft)

Um dos jatos executivos mais aguardados dos últimos anos, o Pilatus PC-24 enfim chegou ao mercado. O fabricante com base na Suíça anunciou nessa quinta-feira (9) a entrega da primeira aeronave à PlaneSense, empresa de propriedade compartilhada dos Estados Unidos. Ao todo, a companhia tem seis aviões da nova série encomendados.

A PlaneSense já é um grande operador de aeronaves da Pilatus, com 36 unidades do turbo-hélice PC-12 na frota. Com a introdução do novo jato, a empresa afirma que planeja expandir sua oferta de produtos para clientes novos e já existentes.



“Estamos orgulhosos de ser o cliente de lançamento do PC-24 e estamos entusiasmados em adicionar este jato versátil e exclusivo para a frota PlaneSense. Nós admiramos muito a qualidade e o estado do design artístico do avião Pilatus, e estamos orgulhosos de nos associarmos com o Pilatus nos últimos 22 anos. Este é um dia emocionante para nós, bem como para os nossos clientes que estão ansiosos para começar a voar nesta fantástica aeronave”, afirmou George Antoniadis, presidente e CEO da PlaneSense, durante a cerimônia de entrega do PC-24, realizada em Broomfield, no estado do Colorado.

“Nós estamos trabalhando ansiosamente nesse momento desde a concepção deste novo jato inovador há uma década. Em nome dos 2.000 funcionários da Pilatus, que criaram, construíram e certificaram as melhores aeronaves de negócios em nosso histórico de 80 anos, estamos orgulhosos de que nosso cliente e parceiro de longo prazo PlaneSense tenha recebido o primeiro PC-24”, celebrou Markus Bucher, CEO da Pilatus Aircraft.

O PC-24 é avaliado em cerca de US$ 8,9 milhões (Pilatus Aircraft)

O PC-24 é avaliado em cerca de US$ 8,9 milhões (Pilatus Aircraft)

Herança utilitária

Um dos principais objetivos da Pilatus durante o desenvolvimento do PC-24, e também o elemento de maior complexidade e inovação do projeto, foi incorporar parte das características e capacidades do versátil turbo-hélice PC-12 no modelo com motores a jato.

Seguindo essa linha, a fabricante incluiu uma porta de carga no PC-24, praticamente igual a do PC-12, e também projetou a aeronave para operar a partir de pistas não pavimentadas, o que representa um enorme desafio para um avião com motores a jato, mais sensíveis a detritos e poeira.

A promessa da Pilatus de pousar com o PC-24 em pistas de terra, grama ou até de gelo, no entanto, ainda não passou da fase de imagens criadas no computador. A fabricante também adotou a prática de falar pouco sobre essa capacidade da aeronave, que ainda não foi provada.

A Pilatus ainda não mostrou o PC-24 pousando na terra "de verdade" (Pilatus Aircraft)

A Pilatus ainda não mostrou o PC-24 pousando na terra “de verdade” (Pilatus Aircraft)

A performance da aeronave em pistas pavimentas, por outro lado, está entre as melhores da categoria. De acordo com a fabricante suíço, o PC-24 pode pousar e decolar em pistas com apenas 800 metros de comprimento. Também voa bem: alcança velocidade máxima de 815 km/h e tem autonomia de 3.768 km (com peso máximo de 8.005 kg).

O PC-24 também tem uma capacidade de passageiros semelhantes a de seu “irmão” turbo-helice, com espaço para até 10 ocupantes, enquanto o PC-12 pode embarcar nove pessoas. O novo jato da Pilatus é avaliado em cerca de US$ 8,9 milhões, o equivalente a R$ 29,5 milhões.

Veja mais: Após 60 anos, Pilatus PC-6 terá produção encerrada