Apenas três companhias compraram o 747-8 na versão de passageiros: Air China, Lufthansa e Korean Air (Boeing)

Apenas três empresas operam o 747-8 na versão de passageiros: Air China, Lufthansa e Korean Air (Boeing)

A linha de montagem do Boeing 747, quem diria, pode receber um suspiro nos próximos anos. A Turkish Airlines, maior companhia aérea da Turquia, iniciou um processo com a fabricante norte-americana para adquirir oito jatos 747-8, a versão mais recente do clássico Jumbo.

Segundo o jornal turco Hurriyet, o negócio é avaliado em cerca de US$ 3 bilhões e conta até com “desconto”. A publicação afirmou que a Boeing está oferecendo as aeronaves com preços “significativamente inferiores” ao valor de tabela: cada 747-8 custa US$ 386,6 milhões.



A mesma publicação também aponta que a Turkish planeja adquirir o 747-8 com capacidade para 410 passageiros. Se o acordo for finalizado, o quadrimotor da Boeing será alocado para destinos internacionais de longo curso que hoje exigem mais de um voo da companhia. Atualmente, a maior aeronave da empresa turca é o bimotor 777-300ER.

Possível suspiro perto do fim

A encomenda da Turkish Airlines, se de fato for concretizada, pode estender por mais alguns anos o funcionamento da linha de montagem do 747 em Everett, nos EUA, onde o modelo é produzido em série desde 1969. Recentemente, a fabricante entregou o último 747-8 configurado para passageiros.

Sem novas encomendas, a produção do 747 deve ser finalizada ente o final desta década e início da próxima. A Boeing ainda conta com 20 pedidos firmes pelo modelo 747-8F, a versão de transporte de carga, de empresas como a UPS, dos EUA, e a Transaero Airlines e a AirBridgeCargo Airlines, ambas da Rússia.

O governo dos EUA também está entre os últimos clientes do 747, com um pedido por dois 747-8 na versão executiva. aeronaves que serão utilizadas na função de “Air Force One”, o avião presidencial do país.

Veja mais: Boeing 747 mais antigo em serviço é aposentado