Hangar da LATAM (à esquerda) e da American (á direita) em Guarulhos: parceria entre as duas empresas está se ampliando (Divulgação)

Parceiras na aliança Oneworld e também numa joint venture focada em explorar o transporte aéreo nas Américas, a LATAM e a American Airlines vão aprofundar esse relacionamento, desta vez na área de manutenção. As duas empresas aéreas anunciaram ao presidente Michel Temer na segunda-feira (16) os planos de construir hangares no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o maior do país.

A American Airlines já está trabalhando na construção do seu imenso hangar desde o primeiro trimestre e deve inaugurá-lo dentro de um ano. O objetivo da companhia americana é aproveitar o período em que seus inúmeros jatos internacionais ficam estacionados no Brasil para promover certos tipos de manutenção – para isso, o prédio terá capacidade para abrigar dois widebodies e será o primeiro hangar da empresa fora dos Estados Unidos.



Já a LATAM planeja erguer um complexo vizinho ao da American (os prédios em azul, como mostra a imagem acima). Nele, a companhia fará a manutenção leve de todos os aviões da sua frota – as instalações em São Carlos, no interior paulista, seguem fazendo manutenções mais demoradas como o ‘Check C’ e ‘D’.

Enquanto a American investe US$ 100 milhões (R$ 320 milhões) em sua estrutura, a LATAM aplicará R$ 130 milhões no seu centro de manutenção, mas não revelou quando o projeto será concluído.

Céus abertos

A visita ao presidente Temer para anunciar o investimento conjunto serviu também para que as duas empresas aéreas fizessem um lobby em favor da assinatura do acordo de Céus Abertos entre o Brasil e os Estados Unidos que aguarda um posicionamento do governo brasileiro. Pelo acordo, os voos entre os dois países deixariam de ser limitados, aumentando a concorrência entre as companhias aéreas e reduzindo os preços das passagens, segundo a LATAM.

Outros países da região já aderiram ao acordo, porém, no Brasil o receio de uma invasão de companhias estrangeiras com custo mais baixo que o das empresas nacionais tem impedido que propostas assim avancem. Hoje, além da LATAM e American, as brasileiras Azul e Avianca e as americanas United e Delta voam entre os dois países – a Gol deve retomar os seus voos em 2018.

Veja também: LATAM anuncia novos voos internacionais