A321neo da Lufthansa: versão XLR deverá ser encomendada, mas companhia não vê avião como decisivo (Airbus)

Após acumular mais de 340 encomendas no Paris Air Show, o A321XLR se firmou como uma opção de aeronave intercontinental para muitas empresas. Mas nem todas as companhias aéreas o veem como uma solução ideal. Carstern Spohr, CEO da Lufthansa, por exemplo, foi cético sobre a nova variante da família A320. “O novo XLR pode ser usado em nossa rede de companhias, nós reconhecemos. Mas na minha opinião, ele é um produto de nicho,” afirmou a investidores em Frankfurt nesta semana.

Para o executivo chefe do grupo alemão, o jato da Airbus não é um “game changer”, ou seja, capaz de fazer tamanha diferença na categoria. Spohr acredita que não é confortável passar mais de quatro horas a bordo de um jato de corredor único – o A321XLR voará em rotas bem mais longas, de até 8.700 km ou mais de 10 horas em voo.


A Lufthansa possui atualmente uma encomenda de 40 A321neo dos quais os dois primeiros foram entregues nas últimas semanas. Em tese, a companhia aérea poderia converter parte desse pedido para a versão XLR, como fizeram várias outros empresas em Le Bourget, as quais devem se juntar outros clientes como a TAP.

Frota simplificada

Se a decisão sobre o A321XLR ainda não foi tomada, o grupo alemão já definiu o que fazer com os diversos widebodies de sua frota. A Lufthansa e as outras companhias associadas irão reduzir os tipos de aeronaves nos próximos anos para reduzir custos e padronizar processos, anunciou a empresa.

Até 2025 deverão ser retirados de serviços o Boeing 747-400, Boeing 767-300ER, Airbus A340 das variantes -300 e -600 e MD-11F. Diferentemente do que havia sido decidido antes, a Lufthansa permanecerá com seus 14 A380 assim como os 19 Boeing 747-8, além do A350-900, A330-300 e do Boeing 777F. Até lá, chegarão à frota o 787-9 e o 777-9.

Nas outras companhias aéreas do grupo serão aposentados o 777-200ER (Austrian Airlines), A340 (11 aviões), A330-200 (11) e 767-300ER (seis também na Austrian). Por outro lado, a Swiss continuará a voar com o 777-300ER.

A Lufthansa recebeu os dois primeiros A321neo nas últimas semanas (Hamburg Airport)

Veja mais: Airbus terminou o Paris Air Show à frente da Boeing