Novo Viracopos: nova previsão de operação total em setembro

Novo Viracopos: nova previsão de operação total em setembro

O novo terminal do Aeroporto de Viracopos deve, enfim, ser concluído até setembro. É a nova data divulgada pela concessionária Aeroportos Brasil, que assumiu o aeródromo há cerca de dois anos, e agora aguarda um novo empréstimo do BNDES para retomar o ritmo das obras.

A empresa diz que as obras já estão com 95% dos trabalhos finalizados, mas na prática o terminal opera de forma precária apenas para voos internacionais no chamado Píer A. Apenas um terço do processador está aberto e poucas lojas estão funcionando.


Sala de embarque internacional em Viracopos: poucos serviços e lojas

Sala de embarque internacional em Viracopos: poucos serviços e lojas

Os pieres B e C, que assumirão o tráfego nacional hoje concentrado no antigo terminal (batizado de Terminal 0), ainda precisam de acabamentos e instalação de sistemas.

A ideia é que as companhias migrem aos poucos para o novo local, mas tudo dependerá da companhia Azul, que responde pela maior parte das operações em Viracopos.

A justificativa da concessionária é que o projeto do Terminal 1 foi ampliado de 14 milhões para 25 milhões, já prevendo o crescimento da demanda – hoje o terminal movimenta cerca de 10 milhões de passageiros por ano.

Processador só tem um terço da área total pronta

Processador só tem um terço da área total pronta

Lava-Jato

As obras em Viracopos, cujo projeto é o mais complexo dos aeroportos concedidos, tiveram vários altos e baixos. No início, cerca de 6 mil funcionários trabalhavam em ritmo frenético com o intuito de entregar o terminal para a Copa do Mundo. Problemas com segurança (que causaram a morte de operários) acabaram atrasando o cronograma. Mais tarde, a empresa acabou reduzindo o ritmo das obras mesmo com multa prevista pela ANAC.

Apenas no final de 2014 parte do terminal passou a operar de forma experimental e em dezembro começaram os primeiros voos internacionais, mas o envolvimento da construtora UTC (sócia no projeto) na operação Lava-Jato complicou o fluxo financeiro da concessionária.

Acabamento em algumas partes ainda é precário

Acabamento em algumas partes ainda é precário