A Genghis Khan Airlines opera na Mongólia Interior, região controlada pela China (Xinhua)

Primeiro jato comercial projetado na China, o ARJ21-700 da COMAC em breve vai estrear com seu segundo cliente, a companhia startup Genghis Khan Airlines. A empresa iniciou nesta semana os testes com um par de aeronaves, voando de sua base no aeroporto Hohhot Baita para Wulanhaote. O início dos voos comerciais é previsto para julho.

A companhia aérea vai completar ao menos 25 horas de testes de voo, bem como realizar procedimentos de emergência, como falha no motor e um incêndio simulado com um bateria de lítio, requisitos pedidos pela agência de de Aviação civil da China, informou o Aviation Week.


Apesar do nome inspirado no imperador mongol, a Genghis Khan Airlines é chinesa. A empresa fica baseada em Hohhot Baita, capital da Mongólia Interior, uma região autônoma controlada pela China.

A companhia aérea foi criada com suporte de um grupo de investimentos da China com suporte do governo na região. O grupo encomendou um total de 25 jatos ARJ21-700 e espera receber todos os modelos até 2024.

Desenvolvido a partir de 2002, a série ARJ21 da COMAC passou por um longo processo de testes e maturação até finalmente chegar ao mercado. O primeiro protótipo voou em dezembro de 2008, mas sua estreia comercial aconteceu somente em junho de 2016. O jato com opção para 78 a 90 assentos, já voa com a companhia chinesa Chengdu Airlines e soma quase 280 pedidos de empresas da Ásia e África.

Meio chinês, meio americano


Embora seja aclamado como o primeiro jato comercial criado na China, os fundamentos básicos do COMAC ARJ21 já existiam. E não eram chineses. O projeto do modelo regional é resultado de um antigo contrato assinado entre a McDonnel Douglas e autoridades chinesas, ainda nos anos 1980. Na época, foi negociada uma autorização para montar aeronaves na China.

Com dois anos na aviação comercial chinesa, o ARJ21 vai estrear em breve com um segundo cliente (Xinhua)

O projeto chinês aproveitou a base do DC-9 e modernizou o interior, equipamentos de voo e outros sistemas da aeronave, como o trem de pouso e os tanques de combustível. O avião fabricado na China pode decolar com peso máximo de 43.000 kg e tem alcance de até 3.700 km. O projeto também inclui um modelo maior, o ARJ21-900, para 105 passageiros.

A segunda versão do ARJ21, porém, ainda não tem data de lançamento, se isso ocorrer de fato. O principal foco da COMAC é o jato C919, a proposta da fabricante para concorrer com os tradicionais Airbus A320 e Boeing 737. O lançamento do jato é programado para meados de 2020.

A empresa chinesa também formou um consórcio com o grupo UAC da Rússia para desenvolver o widebody CR929, um avião com porte semelhante ao novo A330neo.

Veja mais: KC-390 vai estrear com a FAB nas próximas semanas