As primeiras entregas do 737 MAX 7 estão programadas para o início de 2019 (Boeing)

As primeiras entregas do 737 MAX 7 estão programadas para o início de 2019 (Boeing)

O novo 737 MAX 7 da Boeing completou com sucesso seu primeiro voo na sexta-feira (16). O teste inaugural com o jato durou três horas e cinco minutos e foi realizado a partir da sede da fabricante em Renton, no estado de Washington, nos Estados Unidos. Segundo a companhia, o avião está em dia no cronograma para ser certificado até o final deste ano e entrar em operação a partir de 2019.

“Tudo o que vimos durante o voo mostra que o MAX 7 está funcionando exatamente como o projetado”, disse Keith Leverkuhn, gerente geral da Boeing no programa 737 MAX. “Eu sei que nossos clientes vão aproveitar as capacidade que este avião trará para suas frotas”.


O modelo é o terceiro e mais novo membro da família 737 MAX da Boeing a ser produzido e voar – a fabricante já lançou no mercado o 737 MAX 8 e se prepara para entregar os primeiros 737 MAX 9. A nova versão MAX 7 é o menor integrante da nova geração do 737, com 35,9 metros de comprimento e capacidade para embarcar até 172 passageiros.

De acordo com dados da fabricante americana, o 737 MAX 7 tem alcance de 3.850 milhas náuticas (cerca de 7.130 km) e pode decolar com peso máximo de 80.286 kg, cerca de 8.000 kg a menos que o MAX 9, a maior versão do novo 737 que já voou – a Boeing ainda está desenvolvendo o 737 MAX 10, que será o maior e mais pesado 737 em mais de 50 anos de história da série.

O primeiro voo de teste do MAX 7 foi acompanhado por um "avião-paquera" da Boeing, um jato T-33 (Boeing)

O primeiro voo de teste do MAX 7 foi acompanhado por um “avião-paquera” da Boeing, um jato T-33 (Boeing)

“O MAX 7 proporcionará às companhias aéreas um produto eficiente para abrir novos mercados e acessar aeroportos desafiadores, enquanto desfruta de todos os benefícios de fazer parte da família 737 MAX”, disse Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes.

O 737 MAX 7 conta com as mesmas tecnologias presentes nos outros 737 MAX desenvolvidas para reduzir o “apetite” da aeronave por combustível, que segundo a Boeing pode ser até 14% inferior ao da geração anterior, o 737 Next Generation. As principais novidade na série são os novos winglets, dispositivo montado na ponta das asas que reduz o arrasto aerodinâmico da aeronave, e os novos motores CFM International LEAP-1B, de menor consumo.

A Boeing também garante que o MAX 7 oferece um desempenho superior ao de seu principal concorrente, o Airbus A319neo, levando 12 passageiros extras e capaz de percorrer mais 740 km com um consumo de combustível 7% menor.

O 737 MAX 7 pode decolar com peso máximo de 80 toneladas (Boeing)

O 737 MAX 7 pode decolar com peso máximo de 80 toneladas (Boeing)

O 737 MAX é o avião comercial mais vendido na história da Boeing, com uma carteira de pedidos com mais de 4.300 aeronaves de 93 clientes do mundo todo. Um dos compradores é a companhia Gol, que receberá seus primeiros 737 MAX 8 a partir de junho.

Veja mais: Ex-piloto de Fórmula 1, Niki Lauda lança nova companhia aérea