O KC-46 pode reabastecer até 20 caças como o F/A-18 Hornet em apenas um voo (Boeing)

O KC-46 pode reabastecer até 20 caças como o F/A-18 Hornet em apenas um voo (Boeing)

A Boeing anunciou nessa quinta-feira (26) que completou o programa de testes e certificação com o novo avião-tanque KC-46 Pegasus. A aeronave militar de reabastecimento aéreo foi homologada pelo FAA, órgão federal que regulamenta a aviação nos Estados Unidos. O modelo, desenvolvido a partir do jato comercial 767, já tem como clientes as forças aéreas do EUA e Japão.

“Este é um grande marco para o programa e nos aproxima da primeira entrega do KC-46”, disse Mike Gibbons, vice-presidente e gerente do programa de desenvolvimento do Boeing KC-46. “Temos o melhor da Boeing trabalhando juntos para garantir que a força aérea (dos EUA) obtenha um avião-tanque que muda o jogo com recursos inigualáveis”.



O KC-46 foi a resposta da Boeing ao programa KC-X lançado pela força aérea dos EUA em 2006 para substituir os veteranos KC-135 e KC-10, baseados nos antigos jatos comerciais Boeing 707 e McDonnell Douglas DC-10. A Airbus também participou da competição oferecendo um avião-tanque baseado no A330, o A330 MRTT, que acabou preterido pelos americanos.

O programa de desenvolvimento do Pegasus, iniciado pela Boeing em 2011, envolveu seis aeronaves de testes. No total, de acordo com a fabricante, as aeronaves completaram 2.900 horas de voo e realizaram mais de 2.500 “contatos” durante os voos de reabastecimento com outros aviões, como os caças F-16 e F/A-18, o cargueiro C-17 Globemaster ou mesmo outros aviões-tanque KC-46.

O novo avião-tanque da Boeing pode transportar até 96.297 kg de combustível, o suficiente para reabastecer até 20 caças como o F/A-18 em apenas um voo. Essa capacidade é 10% superior a do KC-135, que está em serviço com a força aérea americana desde 1957.

Os EUA estão próximos de aposentar os antigos KC-135 Stratotanker, introduzidos em 1957 (USAF)

Os EUA estão próximos de aposentar os antigos KC-135 Stratotanker, introduzidos em 1957 (USAF)

O Pegasus também reabastecer outras aeronaves em menos tempo. O sistema usado na aeronave pode transferir até 4.536 litros de combustível por minuto, enquanto o equipamento usado no KC-135 transfere cerca de 1.780 litros no mesmo tempo. Com esse ritmo acelerado, o KC-46 pode completar o tanque de um F/A-18 em pouco mais de um minuto (o caça transporta cerca de 4.900 litros de combustível em seus tanques internos).

Além de reabastecer outros aviões, o KC-46 também foi projetado para atuar em missões de transporte de pessoal e material ou operações de evacuação de feridos. De acordo com a Boeing, o jato militar pode transportar 114 passageiros, 80 toneladas de carga ou então 58 pacientes em leitos médicos.

O KC-46 também pode ser reabastecido em voo, o que permite a aeronave voar para qualquer parte do mundo (USAF)

O KC-46 também pode ser reabastecido em voo; a autonomia do avião, sem abastecer, passa dos 11 mil km (USAF)

A Boeing tem atualmente um contrato para fornecer 34 unidades do KC-46 à força aérea dos EUA, contrato que ainda pode ser ampliada para até 179 aviões. Os primeiros aviões devem ser entregues aos militares americanos entre o final deste ano e início de 2019, ao passo que o Japão, que pretende adquirir três exemplares, começa a receber seus aviões a partir de 2020.

O novo avião-tanque derivado do 767 também é cotado para as forças aéreas do Canadá, Indonésia e Índia.

Veja mais: Força Aérea dos EUA confirma modernização do bombardeiro B-52