(Airbus)

O A330-800 é projetado para voar por mais de 15.000 km (Airbus)

O primeiro A330-800 decolou na manhã desta terça-feira (6) do aeroporto de Toulouse, na França, onde fica a principal fábrica da Airbus. A aeronave é o menor modelo da nova série A330neo, que deve estrear nos próximos dias com A330-900, certificado recentemente. O voo inaugural do jato é o primeiro de uma etapa de testes que deve durar cerca de 300 horas.

A estreia do novo A330-800 na aviação comercial é programada para 2019. A Airbus ainda não cravou uma data exata para o lançamento da aeronave. O novo jato da série A330neo, apesar de prometer bons predicados, ainda não tem nenhum cliente confirmado. O máximo que a fabricante europeia conseguiu com este modelo até o momento foi uma carta de intenção de compras da companhia Kuwait Airways. O A330-900, por outro lado, já tem sua clientela com mais de 150 unidades encomendadas, incluindo pedidos da Azul.



O A330-800 foi desenvolvido para substituir o A330-200, lançado em 1998 e com cerca de 660 unidades produzidas. O novo jato mantém o mesmo comprimento (58,8 m) e capacidade de passageiros (257 a 406) de seu antecessor, mas ganhou soluções para voar por maiores distâncias, em viagens de até 15.094 km.

As principais mudanças no A330-800 são as asas de maior envergadura (de 60 metros para 64 m), winglets de nova geração (que a Airbus chama de “Sharklets”), e os motores Rolls-Royce Trent 7000, capazes de gerarem mais potência com menor consumo de combustível.

(Airbus)

O A330-800 é o substituto do A330-200, lançado em 1998 (Airbus)

De acordo com a Airbus, o efeito das novas tecnologias no A330neo é uma redução de 14% no consumo de combustível e custos de manutenção mais baixos, já que o novo modelo ainda compartilha cerca de 95% dos componentes do A330 de primeira geração.

Rival para o 787

Se o novo projeto da Airbus provar suas capacidades, o Boeing 787 Dreamliner pode ganhar um concorrente de peso. Embora não tão avançado como o jato americano, o A330neo, com sua capacidade sugerida de voar por mais de 15.000 km, supera todas as versões do 787 em autonomia – em capacidade de passageiros perde apenas para o 787-10.

O alcance do A330-800 ainda pode causar até um efeito de migração do A350-900, que tem autonomia semelhante (embora transporte mais passageiros), mas custos operacionais mais elevados.

O preço do A330-800, avaliado em US$ 259,9 milhões, também pode atrair operadores. Nesse quesito o novo jato da Airbus é mais barato que os 787-9 e 787-10, que custam entre US$ 281,6 milhões e 325,8 milhões – o A350-900 custa cerca de US$ 317 milhões.

(Airbus)

O parabrisa do cockpit com a moldura preta é outra novidade no A330neo (Airbus)

Veja mais: American Airlines encomenda mais 15 jatos Embraer E175