Depois de muita expectativa, a Norwegian estreia seus primeiros voos na Argentina (NA)

Decolam do aeroporto Aeroparque nesta terça-feira (16) os primeiros voos da Norwegian Air Argentina, filial da companhia aérea low-cost sediada na Noruega. Com apenas um avião, um Boeing 737-800 recebido no começo deste ano, a nova empresa aérea promete revolucionar o transporte aéreo na Argentina.

Inicialmente, serão atendidos dois destinos a partir de Buenos Aires, Córdoba e Mendoza, com preços bastante atraentes de R$ 244 no primeiro caso e R$ 313 no segundo – valores apenas de ida. Para se ter uma ideia, uma viagem entre a capital argentina e Córdoba pela Aerolineas Argentinas, principal companhia do país, pode custar a partir de R$ 370, ou seja, 50% mais caro do que pela Norwegian.


Os valores, no entanto, são altos se comparados a uma viagem semelhante no Brasil. Com 650 km de distância, a viagem entre Buenos Aires e Córdoba tem um custo por quilômetro de 38 centavos de real. Já um passageiro que viajar entre Curitiba e Rio de Janeiro, separadas por cerca de 685 km, pode pagar até R$ 227 por uma passagem de ida (Azul), com custo por quilômetro de 33 centavos de real. Como se vê, a situação argentina é bastante diferente da brasileira onde a concorrência é maior – enquanto no vizinho uma grande empresa estatal controla as principais rotas.

Expansão rápida

Os planos da Norwegian Air Argentina são ambiciosos. Ainda nesta semana, a partir do dia 19, duas novas cidades passarão a ser atendidas, Iguazu e Neuquen, e no dia 3 de dezembro será a vez de Bariloche e Salta. Ironicamente, os passageiros que chegarem à Argentina pelo voo vindo de Londres com a “companhia mãe” terão o dissabor de ter de se deslocar por táxi ou ônibus do aeroporto de Ezeiza, distante 40 km de Aeroparque, para então seguir viagem pelo interior do país.

Para a Norwegian, no entanto, isso é uma vantagem: “Os passageiros podem facilmente aproveitar a oportunidade para dividir sua viagem e passar o tempo visitando a vibrante cidade de Buenos Aires antes de explorar outras partes da Argentina”, diz o comunicado da companhia. Como diz o ditado, “não existe almoço grátis”.

Veja também: Mais empresas aéreas de baixo custo demonstram interesse pelo Brasil

O novo 737 MAX da Aerolineas Argentinas foi "batizado" no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires (Divulgação)

A Aerolineas Argentinas cobra cerca de 50% mais pela passagem entre Buenos Aires e Córdoba (Divulgação)