Projeção da Dragon V2, a futura nave da SpaceX

Projeção da Dragon V2, a futura nave da SpaceX

Um grande estrondo, uma trilha de fumaça no céu e para-quedas abertos. O primeiro teste com o módulo de fuga Crew Dragon da Nasa foi um sucesso. Criada pela SpaceX, construtora norte-americana de foguetes e outras “soluções” aeroespaciais, a pequena nave é uma importante parte do projeto que os EUA prepara para retomar voos regulares ao espaço.

É a bordo do Crew Dragon que os astronautas (até sete) farão a viagem até o espaço na futura nave da Nasa. No caso de algum problema na decolagem ou durante o voo, o módulo pode se separar do restante da composição. O módulo possui oito foguetes que atuam por cerca de 6 segundos,  tempo suficiente para afastá-lo do foguete principal.


O teste foi realizado na base da Nasa em Cabo Canaveral, na Florida, e durou cerca de dois minutos entre o momento da decolagem e o pouso no mar. Segundo a Nasa, o módulo levou mais de 270 equipamentos de medição e um dummy, boneco com sensores para analisar que efeitos físicos o desprendimento do módulo causaria ao corpo dos astronautas.

“Esta é uma etapa crítica para garantir a segurança da tripulação em esforços governamentais e comerciais na órbita da Terra”, declarou Kathy Lueders, gerente do Nasa Commercial Crew Program (Programa de Tripulação Comercial da Nasa), que vem sendo um importante instrumento de financiamento da Nasa em meio a cortes em seu orçamento.

Veja como foi o teste no vídeo da Nasa abaixo:

De volta ao espaço

Atualmente a Rússia e poucas empresas muito especializadas têm capacidade para enviar foguetes para o espaço. Com a desativação da frota de ônibus espaciais, a Nasa ficou sem meios de lançar seus próprios astronautas ao espaço e suprir as necessidades da Estação Espacial Internacional. Além dessa falta de habilidade dos EUA, a base espacial vem lidando com seguidas falhas do programa especial russo.

Parte do financiamento da Nasa vem de interesses privados e mais empresas estão se envolvendo ao seu meio. Além da fabricante de foguetes SpaceX, a Boeing também está participando do novo projeto espacial dos EUA e estuda a fabricação de uma nave de carga.