O míssil BrahMos é um projeto indiano e russo

O míssil BrahMos é um projeto indiano e russo

O jornal indiano Financial Express, de Nova Delhi, revelou que a Marinha do Brasil demonstrou interesse pelo míssil de longo alcance BrahMos. Segundo a publicação, oficiais da marinha procuraram a empresa BrahMos Aerospace Private Limited para obter informações sobre o desempenho do artefato, que é considerado o mais rápido do mundo em operação atualmente.

Além do Brasil, Venezuela, Chile, China e África do Sul, de acordo com o jornal indiano, também se interessaram pelo armamento, que está em operação nas forças armadas da Índia e Rússia desde 2006.


O míssil BrahMos foi desenvolvido pelo Departamento de Engenharia Espacial e de Foguetes da Rússia em parceria com a Organização de Defesa, Pesquisa e Desenvolvimento da Índia, que formaram a empresa BrahMos Aerospace Private Limited.

Capaz de voar a mais de 3.600 km/h, o míssil indiano pode ser lançado a partir de submarinos, navios, aviões e de bases em solo. O BrahMos tem alcance de 300 a 500 km e pesa 3.000 kg ou 2.500 kg nas versões adaptadas para aviões. O artefato mede 8,4 metros de comprimento e possui um foguete de dois estágios e uma cabeça explosiva que varia de 200 kg a 300 kg.

Veja mais: Como funcionam os aviões “invisíveis”

O míssil BrahMos pode ser lançado de bases no solo, submarinos, navios e aviões de grande porte

O míssil BrahMos pode ser lançado de bases no solo, submarinos, navios e aviões de grande porte

Os mísseis usados pela Índia e Rússia tem capacidade para transportar explosivos convencionais ou cargas nucleares. O míssil é orientado por radar e na fase final pode usar recursos termográficos. A versão utilizada na Índia ainda possui um sistema de navegação por satélite, recurso que aumenta ainda mais a precisão dos ataques.

Cada míssil BrahMos custa entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões.

O Airway consultou a assessoria de imprensa da Marinha do Brasil para saber a respeito do assunto mas não obteve resposta até o fechamento desta notícia.