A busca pelo avião da Malaysian é a maior operação desse tipo já realizada na história (Divulgação)

A busca pelo avião da Malaysian é a maior operação desse tipo já realizada na história (Divulgação)

Autoridades da Malásia retomaram nesta quarta-feira (3) as buscas pelo Boeing 777 da companhia aérea Malaysian Airlines, desaparecido em 8 de março de 2014, informou o jornal britânico The Guardian. A aeronave realizava o voo MH370, entre Kuala Lumpur, capital malaia, e Pequim, na China, com 227 passageiros e 12 tripulantes a bordo.

A operação de busca da aeronave da Malaysian, a maior e mais cara desse tipo já empreendida na história, havia sido interrompida em janeiro de 2017 pelo governo malaio em respeito aos familiares das vítimas. No entanto, o país desta vez lançou uma nova força-tarefa para solucionar o mistério da aeronave desaparecida há mais de três anos



A nova busca do avião será realizada pela empresa norte-americana de exploração marinha Ocean Infinity, que já enviou uma embarcação à costa de Perth, na Austrália, onde investigadores da tragédia acreditam que a aeronave tenha caído. O navio com equipamentos especiais deve chegar à região no início de fevereiro.

Até o momento, as únicas pistas sobre o paradeiro do 777 da Malaysian foram a recuperação de três pedaços do avião, encontrados nas Ilhas Maurício, Réunion e na costa da Tanzânia, todos banhados pelo Oceano Índico. Até o momento, as investigações sobre o acidente apontam que alguém deliberadamente desligou o transponder (aparelho que aponta a posição do avião) do avião antes de desviá-lo de seu curso original.

As novas operações de buscas pela aeronave serão realizadas em uma área com cerca de 25 mil quilômetros quadrados a partir da costa oeste da Austrália, onde os investigadores acreditam que existe uma “alta probabilidade” de encontrar o avião.

Veja mais: Malaysian Airlines terá aviões monitorados em tempo real