(Xinhua.net)

O AG600 tem capacidade para transportar 50 passageiros ou então cerca de 12.000 kg em cargas (Xinhua)

Maior avião anfíbio da atualidade, o AG600 “Kunlong” projetado pela chinesa AVIC, completou no último sábado (20/10) sua primeira decolagem a partir da água. A aeronave partiu da represa de Zhangue, na margem do aeroporto de Jingmen, na China. O modelo já vinha sendo testado em voo desde dezembro de 2017, mas operando somente a partir de pistas em terra firme.

A categoria do AG600 também é conhecida como “Flying Boats” (Barcos Voadores). A principal característica desse segmento é a parte inferior da fuselagem do avião com formato semelhante ao casco de um barco.



E o novo avião da AVIC é um barco voador e tanto: a aeronave tem 36,9 metros de comprimento por 38,8 m de envergadura e pode decolar com peso máximo de 53.500 kg. Tal porte (exceto pelo peso máximo de decolagem) é semelhante ao do Boeing 737-700, como os usados pela companhia aérea Gol.

O AG600 é um dos três grandes projetos de aeronaves em andamento na China com apoio do governo. Os outros aviões são o cargueiro militar Y-20, desenvolvido pela Xi’an, e o jato comercial C919, da COMAC.

Diferentemente do Y-20 e o C919, que utilizam uma série de itens importados, o avião anfíbio da AVIC é o projeto chinês com a maior proporção de componentes desenvolvidos localmente. Segundo a fabricante, cerca de 98% dos itens da aeronave são produzidos na China, inclusive os motores turbo-hélice Dongan WJ-6.

O barco voador chinês também apresente números interessantes sobre desempenho. De acordo com a AVIC, a aeronave pode voar a velocidade máxima de 570 km/h (e cruzeiro de 500 km/h), a 10.500 metros de altitude, e tem autonomia para até 4.500 km.

Por que um avião anfíbio tão grande?

O AG600 é desenvolvido para voar com operadores civis ou militares. Conforme dados do fabricante, o avião pode transportar 50 passageiros ou então embarcar 12 toneladas de cargas. Essa capacidade será bem-vinda para o abastecimento e operações logísticas das polêmicas ilhas artificiais que a China vem erguendo na região do Mar do Sul da China.

(Xinhua)

A categoria do AG600 também é conhecida como Flying Boats (Xinhua)

Outras funções importantes do avião anfíbio chinês serão missões de busca e resgate e a possibilidade de combater incêndios. Para atuar nessa tarega, o AG600 será equipado com um sistema capaz de bombear mais de 12.000 litros de água para reservatórios internos em apenas 20 segundos.

A AVIC já recebeu 16 encomendas pelo AG600, todas oriundas da China. A empresa, porém, ainda não divulgou a identidade dos futuros operadores da aeronave.

Soviéticos já foram mais longe

O AG600 é o maior avião anfíbio da atualidade, mas não o maior de todos os tempos que já voou. Esse título pertence ao Beriev A-40 Albatros, projeto iniciado nos tempos da antiga União Soviética e cujo retorno vem sendo cogitado pelo governo russo nos últimos anos.

O retorno do Beriev A-40 vem sendo cogitado na Rússia (Yevgeny Pashnin)

O retorno do Beriev A-40 vem sendo cogitado na Rússia (Yevgeny Pashnin)

O Albatros voou pela primeira vez em 1986, mas o projeto acabou suspenso após o colapso da União Soviética, em 1991. A aeronave, porém, deixou sua marca na história da aviação e estabeleceu 140 recordes em sua categoria, entre eles a de avião anfíbio mais rápido do mundo com a marca de 800 km/h e de maior porte nesse nicho

O A-40 mede 43,8 metros de comprimento por 41,6 m de envergadura de asas. Já seu peso máximo de decolagem fica em torno de 86.000 kg. A principal função do Albatros na antiga URSS eram missões de guerra submarina.

Nota do editor: vale lembrar que um avião anfíbio, que pousa na água e na terra, é diferente de um hidroavião, que opera exclusivamente na água.

Veja mais: Conheça os aviões “Made in China”