A320 da JetSmart: companhia chilena pode abrir filial brasileira (Divulgação)

Uma das companhias aéreas pertencentes ao fundo de investimento Indigo Partners, a chilena JetSmart recebeu nesta quinta-feira (6) autorização da ANAC para lançar voos entre o Chile e o Brasil. No final de agosto, a empresa já havia conseguido permissão para implantar uma ligação aérea entre a Argentina e nosso país.

Mas os planos da JetSmart em território brasileiro podem ser maiores do que essas rotas denunciam. De acordo com relatos do Ministério da Infraestrutura, que teve um encontro com o presidente da JetSmart nesta semana, a companhia aérea pretende criar uma subsidiária no Brasil para lançar voos nacionais. Ao jornal Folha de São Paulo, a empresa afirmou que o foco no momento é “iniciar os voos internacionais”, cujos destinos ainda são mantidos em segredo.


Segundo a ANAC, o interesse pelo mercado brasileiro surgiu após a desregulamentação da franquia de bagagem. Desde então, a Norwegian Air, Flybondi e Sky Airlines lançaram voos para destinos no país. Além deles, a Air Europa foi a primeira a abrir uma filial no Brasil e está seguindo os trâmites para lançar sua companhia aérea nacional.

Ultra low cost

Considerada uma companhia aérea “ultra low-cost”, a JetSmart atua no mercado desde 2017 e tem hoje uma frota composta por 10 jatos Airbus A320 que atendem 10 destinos no Chile, Argentina e Peru. O hub da empresa fica no aeroporto internacional Arturo Merino Benítez, em Santiago.

Nos próximos anos, a frota da JetSmart vai crescer consideravelmente: a empresa tem encomendado 82 aeronaves A320neo, A321neo e o novo modelo de longo alcance A321XLR.

A empresa chilena faz parte do grupo Indigo Partners, que também controla as companhias de baixo custo Frontier Airlines, nos Estados Unidos, Volaris, no México, e a Wizz Air, na Hungria.

Veja também: Com movimento em queda, Aeroporto do Galeão vira paraíso das low-cost