(Divulgação)

O livro traz mais de 70 ilustrações sobre as diferentes pinturas e armas empregadas no Tucano (Divulgação)

Avião militar mais produzido pela indústria aeronáutica do Brasil, o Embraer Tucano agora tem sua história contada em um livro “para gringo ler”. EMB-312 Tucano: Brazil’s turboprop success story (EMB-312 Tucano: a história de sucesso do turbopropulsor do Brasil) é o novo título publicado em inglês da editora Harpia, com escritório da Áustria, escrito por João Paulo Moralez, jornalista brasileiro especializado em aviação e defesa.

Como explica a editora, o novo livro “está configurado para se tornar a obra definitiva de referência em língua inglesa” sobre o Embraer Tucano. A publicação relata a história da aeronave, a primeira em sua classe a oferecer um cockpit e controles equivalentes aos encontrados em jatos de combate. Com essas características, o turbo-hélice da Embraer se tornou um dos principais aviões de treinamento militar, com mais de 660 unidades produzidas.



Barato para voar, capaz de operar a partir de pistas despreparadas e com requisitos de manutenção limitados, o Tucano foi o primeiro projeto da Embraer a ser construído sob licença fora do Brasil. O avião foi usado em serviço por 16 países, sete dos quais o usaram em combate, embora o Tucano seja mais conhecido como treinador.

“A ideia de escrever o livro surgiu como um desafio pessoal, de levantar uma complexa pesquisa histórica sobre esse avião que operou em 16 países se envolvendo em combate em 8 deles, incluindo no Brasil. O Tucano foi largamente empregado na fronteira em ações reais pela Força Aérea Brasileira contra as FARC. Somando Colômbia, Peru e Honduras foram mais de 40 aviões de narcotraficantes derrubados pelo Tucano. Em Angola, o Tucano se envolveu em várias batalhas com sucesso”, contou Moralez, dando uma prévia sobre o conteúdo da publicação, ao Airway.

A editora não tem planos de lançar o livro traduzido para o português (Divulgação)

A editora Harpia tem tradição em publicações sobre aviação e defesa (Divulgação)

“Tomei a decisão de iniciar a pesquisa após um bate papo com um antigo engenheiro da Embraer que trabalhou no programa do Tucano. O Ary Guilherme Leber era a ligação entre a engenharia e a produção, e depois acompanhou o protótipo até o seu voo. Depois dessa conversa decidi fazer as pesquisas e começar a trabalhar. Isso foi em agosto de 2013 e, naquele momento, comentei a ideia com o artista Murilo Camargo Martins, um dos melhores artistas do país em termos de aviation art. E ele entrou no projeto para desenhar os 74 perfis coloridos e vistas mostrando as mais variadas cores do Tucano em cada país que foi operado e com vários tipos de armamentos”, explicou o autor.

O livro ainda ainda conta o caminho da Embraer no mercado global com o Tucano, relatos da equipe da Esquadrilha da Fumaça, e detalhes sobre os modelos produzidos em outros países, como os Shorts Tucano, da Royal Air Force (força aérea britânica). Também está incluida a trajetória da fabricante no processo de evolução da aeronave até o EMB-314 Super Tucano, cuja história será contada em um livro separado, antecipou a editora austríaca.

Veja mais: Embraer KC-390 alcança Capacidade Operacional Inicial