O Lilium Jet é impulsionado por 36 motores elétricos (Divulgação)

Mais um projeto de táxi aéreo urbano ganhou os céus neste mês. A startup alemã Lilium revelou nesta quinta-feira (16) o protótipo de sua aeronave totalmente elétrica, o Lilium Jet, e confirmou que o aparelho controlado remotamente voou pela primeira vez no último dia 4 de maio.

A fabricante explicou que o protótipo já tem uma configuração semelhante a que será adotada pela versão definitiva do Lilium Jet. O veículo com cinco assentos é impulsionado por 36 fans elétricos que permitem a decolagem e aterrissagem vertical e também atuam na fase de voo de cruzeiro, no sentido horizontal. A empresa ainda relata que o design simples da aeronave vai oferecer aos clientes uma “experiência mágica”, pois isso permitiu incluir janelas panorâmicas e portas no estilo asa de gaivota (que abrem para cima).


“Hoje estamos dando mais um grande passo para tornar a mobilidade aérea urbana uma realidade. Em menos de dois anos, conseguimos projetar, construir e voar com sucesso uma aeronave que servirá como modelo para a produção em massa. O Lilium Jet em si é bonito e nós ficamos muito satisfeitos em ver ele voando pela primeira vez. Com o equilíbrio perfeito de alcance e velocidade, nossa aeronave tem potencial de impactar positivamente o modo como as pessoas escolhem viver e viajar em todo o mundo”, disse Daniel Wiegand, co-fundador e CEO da Lilium.

De acordo com dados da startup alemã, o veículo pode alcançar a velocidade máxima de 300 km/h e tem autonomia de 300 km. A Lilium ainda afirma que o design de sua aeronave, com asa fixa, oferece um desempenho superior a maioria de seus concorrentes, que são em grande parte baseados no formato de drones. A empresa diz que essa configuração consome muita energia apenas para manter a aeronave no ar, enquanto o Lilium Jet conta com a sustentação gerada por sua asa, precisando de apenas 10% de seus 2000 cavalos de potência durante o voo de cruzeiro.

“O Lilium Jet funcionou exatamente como o esperado e respondeu bem aos nossos insumos. Nosso programa de voos de testes agora continuará com manobras cada vez mais complexas à medida que observamos em direção ao nosso próximo objetivo de alcançar o voo de transição, que é quando a aeronave se move perfeitamente do voo vertical para o horizontal”, comentou Leandro Bigarella, chefe dos testes de voo da Lilium.

A Lilium planeja fabricar e operar sua aeronave como parte de um serviço de táxi aéreo urbano sob demanda, algo como o Uber já faz com automóveis. Utilizando um aplicativo de smartphone, passageiros poderão localizar o ponto de pouso mais próximo e planejar sua viagem. A empresa ainda afirma que os preços das viagens serão comparáveis a de um táxi, mas se deslocando quatro vezes mais rápido. O objetivo da startup é colocar o Lilium Jet no mercado até meados de 2025.