Voos da LATAM entre Brasília e Assunção serão operados na realidade pela Paranair com jatos CRJ 200 (Divulgação)

A LATAM revelou nesta terça-feira (08) que o voo entre Brasília e Assunção, capital do Paraguai, não será operado por ela na realidade. Com início de serviço marcado para o dia 15 de dezembro, a frequência diária será realizada pela companhia aérea paraguaia Paranair com jatos regionais CRJ 200 com apenas 50 assentos em classe econômica.

A companhia aérea havia anunciado o novo direto entre as capitais dos dois países em agosto, juntamente com outros dois destinos, Santiago do Chile e Lima, que começarão em 15 de outubro e 14 de novembro, respectivamente, com aeronaves A320 da própria LATAM. No entanto, na ocasião a empresa não trouxe detalhes sobre os voos para Assunção que terão códigos LA 1326 e LA 1327.


A “terceirização” do voo para a capital do Paraguai causa estranheza afinal a LATAM contou com a redução da alíquota do ICMS no Distrito Federal como contrapartida para lançar as novas frequências internacionais. A parceria comercial, como define a companhia aérea, não esclarece se os benefícios serão estendidos à Paranair ou se a LATAM assumirá os custos da operação.

A LATAM fez questão de enfatizar que “a Paranair mantém os mais altos padrões internacionais de segurança e é membro da IATA (The International Air Transport Association)”. A companhia paraguaia foi fundada em 2015 como Amaszonas Paraguay e em setembro do ano passado trocou seu nome para Paranair. De propriedade de um grupo canadense e outro espanhol, a empresa opera quatro jatos CRJ 200, fabricados pela Bombardier e hoje parte da Mitsubishi Aircraft.

Voo Congonhas-Fortaleza

Nesta semana, a LATAM também anunciou o novo voo entre o Aeroporto de Congonhas e Fortaleza. Operado com o jato A320neo de 174 assentos, o voo terá 12 frequências semanais em cada sentido. Seis dos voos serão inaugurados em 20 de novembro e outros seis, em 9 de janeiro de 2020.

A ligação com a capital cearense só foi possível após o governo federal voltar a permitir voos de longa duração a partir de Congonhas e que haviam sido suspensos em 2007 após a acidente com o  A320 do voo 3054 da TAM.

Congonhas e Fortaleza terão ligação direta com os A320neo da LATAM (Tobias Gudat)

Veja também: “Stormtrooper plane” da LATAM chega ao Brasil