A LATAM usa o 767 para Boston e Orlando

O novo da Latam para Munique será operado com jatos Boeing 767-300 (Divulgação)

O grupo Latam Airlines confirmou nesta quinta-feira (29) o início das vendas de passagens aéreas para seu novo voo internacional entre São Paulo e Munique, na Alemanha. O trecho, que será operado pela divisão brasileira da companhia, será iniciado em 25 de junho de 2019 com decolagens a partir do Aeroporto de Guarulhos.

O voo para Munique será realizado quatro vezes por semana com jatos Boeing 767-300, que acomodam 191 passageiros na classe econômica e mais 30 na executiva. As passagens de ida e volta podem ser adquiridas pelos canais de venda da Latam com preços a partir de R$ 3.449.



“Investimos em rotas sustentáveis e que atendam as necessidades dos clientes. Está é a estratégia que adotamos para investir e seguirmos como a companhia aérea com a maior e melhor conectividade da região. Nenhuma outra empresa interliga a América do Sul e conecta todo esse continente com o mundo com tantas opções de voos e horários”, disse Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines Brasil.

São Paulo e Munique não contam com voos diretos desde outubro de 2016, quando a companhia alemã Lufthansa encerrou a frequência e passou a oferecer no Brasil somente voos para Frankfurt.

Munique será o nono destino da Latam Airlines Brasil na Europa e seu segundo na Alemanha, depois de Frankfurt (atendido a partir de São Paulo).

O novo voo da Latam está programado para decolar de São Paulo às 23h25 (hora local) das segundas, terças, quintas e sábados, com chegada em Munique (aeroporto Franz Josef Strauss) às 17h15 (no horário da Alemanha) do dia seguinte, em uma viagem com quase 13 horas de duração.

Os voos de retorno estão previstos para decolarem às 20h15 (hora local) das terças, quartas, sextas e domingos, com chegada em São Paulo às 4h33 (hora local) do dia seguinte. Segundo a companhia, o voo de Munique para a capital paulistana é realizado em cerca de 12 horas e 20 minutos.

Após 3 anos de encolhimento, Latam volta a crescer

Em coletiva de imprensa realizada em São Paulo nesta quinta-feira (29), Jerome Cadier, CEO da Latam Airlines Brasil, deu “graças a Deus” pelo ano estar terminando. “Tivemos a impressão de que 2018 foi um ano muito longo. Houve a greve dos caminhoneiros, aumento do dólar e dos preços dos combustíveis. Estamos um ‘pouquinho’ mais otimistas para 2019.”

Cadier contou que a divisão brasileira da Latam voltou a crescer neste final de ano após 10 trimestres seguidos de encolhimento. Nesse período, devido a crise política e econômica instaurada no Brasil, a companhia precisou reduzir frequências e diminuir a frota de aeronaves. “Ainda há muito a ser feito para retornarmos ao patamar de 2015”, disse o diretor.

A divisão brasileira da Latam inaugurou neste ano quatro novos voos internacionais e 23 rotas domésticas. Em dezembro, a empresa vai começar a voar para Tel Aviv, em Israel. “O dólar mais estável trás maior estabilidade no internacional”, contou Cadier.

O CEO da Latam Airlines Brasil também contou que a prioridade da empresa no momento não é abrir novas rotas domésticas, mas sim aumentar os “bancos de conexão”. “Isso melhora a conectividade entre voos da Latam e também com voos de empresas parceiras.”

“Investimos em rotas sustentáveis e que atendam as necessidades dos clientes. Está é a estratégia que adotamos para investir e seguirmos como a companhia aérea com a maior e melhor conectividade da região. Nenhuma outra empresa interliga a América do Sul e conecta todo esse continente com o mundo com tantas opções de voos e horários”, disse Cadier.

Investimentos

O grupo Latam está atualmente realizando o maior investimento da história da companhia, cerca de US$ 400 milhões, na reformulação do interior dos aviões Boeing 767 e 777, usados em voos de longa distância, e também dos Airbus A320 e A321, para rotas curtas. Ao todo, serão reformuladas mais de 40 aeronaves de longo alcance e 95 modelos que voam rotas curtas.

Parte da frota de jatos A320 da Latam serão atualizados no centro de manutenção da companhia em São Carlos, no interior de São Paulo (Carlos Daniel Dobelli/Wikimedia)

Aviões de longo alcance serão equipados com novos assentos de classe econômica, com distância acima de 31 polegadas entre as poltronas, tomadas USB e telas de entretenimento menores. Na classe executiva as novidades serão os assentos com reclinação total, leitos com maior privacidade e telas de 18 polegadas, que segundo a Latam são as maiores do mercado.

“Os 767 atualizados devem começar a voar no Brasil somente em 2019. Primeiro vamos renovar os modelos mais antigos e, em seguida, os mais novos, que são justamente os usados no mercado brasileiro”, revelou Cadier.

Os modelos A320 e A321 também terão assentos remodelados e todos equipados com entradas USB. A empresa ainda vai lançar nessas aeronaves o espaço “Latam+”, disponíveis nas 7 primeiras fileiras, com compartimento de bagagem dedicado e tomadas para dispositivos eletrônicos.

Outro investimento importante da companhia é a construção de um novo hangar de manutenção no aeroporto de Guarulhos, que será inaugurado até o final deste ano. “O pátio será inaugurado em dezembro e poderá receber aeronaves para serviços externos. Até fevereiro (de 2019) as operações serão iniciadas”, contou o CEO da Latam Brasil.

O espaço, que vai ocupar uma área com mais de 65 mil metros quadrados, terá capacidade para receber sete aeronaves de dois corredores, como os jatos 767, 777 e até o Airbus A350, ou até 19 aviões de um único corredor da família A320.

Veja mais: Após atraso, Airbus entrega primeiro A330neo para a TAP