O francês Dassault Falcon 7X tem alcance de 11.00 km; custa cerca de US$ 50 milhões (Foto - Ricardo Meier/Airway)

O francês Dassault Falcon 7X tem alcance de 11.00 km; custa cerca de US$ 50 milhões (Foto – Ricardo Meier/Airway)

Algumas aeronaves expostas da Labace 2015 podem simplesmente sair taxiando por Congonhas após a feira e seguir direto, sem escalas, até Moscou, na Rússia. São os jatos executivos “ultra longos de alta performance de alcance intercontinental”, uma categoria bastante disputado por sinal. No evento deste ao estão reunidos o Bombardier Global 6000, o Gulfstream 650E e o Dassault Falcon 7X. Todas essa aeronaves têm alcance superior de 11.000 km, o que as habilita a voar de um continente para o outro, como os grandes jatos comerciais.

Dos modelos expostos da Labace, o que pode ir mais longe é a nova geração do Gulfstream G 650E, um enorme jato executivo com 30 metros de comprimento e mais 30 m de envergadura. Segundo a fabricante norte-americana, a aeronave tem autonomia de 12.900 km a velocidade de cruzeiro alta, chegando a de 982 km/h (com máxima de 982 km/h). A cabine possui áreas especiais e é possível até ficar completamente de pé no interior. O G 650E, avaliado em cerca de US$ 64 milhões, leva até 18 passageiros.


Veja mais: Como chegar na Labace?

O segundo colocado é o Global 6000, da canadense Bombardier. O bimotor, também com 30 metros de comprimento, leva 16 passageiros em viagens de até 11.400 km. E vai rápido. A velocidade de cruzeiro do jato é de 907 km/h. Uma viagem de São Paulo até Paris que um Boeing 777 da Tam faz em cerca de 14 horas, o Global 6000 pode realizar em 12 horas.

Por fim, apesar da beleza do design trimotor, o belíssimo Dassault Falcon 7X é o último dos “compridões” da Labace em autonomia: tem alcance até 11.000 km. Em contrapartida, é o mais rápido da “turma”, capaz de atingir até 1.100 km/h – embora sua  velocidade de cruzeiro seja a mais baixa dos três: 907 km/h. O Falcon 7X também ganha em capacidade de passageiros, com uma cabine configurada para levar até 19 ocupantes.

Meio termo

O evento em Congonhas também tem jatos de médio de alcance, que não chegam até a Rússia mas podem ir sem escalas, por exemplo, até Miami, nos Estados Unidos. Esse modelos são os “Longer-Legged”, aeronaves de porte médio e capazes de voar mais de 6.000 km.

O principal jato desse segmento presente na Labace é o Legacy 650, da Embraer. A aeronave tem autonomia de 7.200 km e capacidade para até 13 passageiros. Porém, diferentemente dos Legacy menores 450 e 500, esse modelo da fabricante nacional ainda não tem controles fly-by-wire.

O Legacy 650 é avaliado em cerca de US$ 29 milhões; o alcance do jato é de 7.200 km (Foto - Ricardo Meier/Airway)

O Legacy 650 é avaliado em cerca de US$ 29 milhões; o alcance do jato é de 7.200 km (Foto – Ricardo Meier/Airway)

A Dassault também tem o Falcon 2000EX em exposição na feira, outra aeronave com design muito atraente, como sempre foi o estilo da fabricante francesa. Apesar da beleza, o modelo tem alcance limitado a 6.000 km e leva um passageiro a menos que o Legacy 650.

O Falcon 2000 voa menos que o Legacy e tem preço superior: US$ 36 milhões (Foto - Ricardo Meier/Airway)

O Falcon 2000 voa menos que o Legacy e tem preço superior: US$ 36 milhões (Foto – Ricardo Meier/Airway)

Com três motores gerando 7.000 libras de tração cada um, o Falcon 2000EX pode alcançar a velocidade máxima de 1.041 km/h. O Legacy atinge 980 km/h. O exótico jato executivo francês custa US$ 36 milhões, contra US$ 29 milhões do modelo da Embraer.

Veja mais: Airbus anuncia jato executivo de R$ 1 bilhão na Labace