Divisão regional KLM Cityhopper vai receber os primeiro E195-E2 em 2021 (Embraer)

A KLM anunciou nesta terça-feira (12) um pedido firme de 21 jatos E195-E2 da Embraer, com direito de compra para mais 14 unidades. As aeronaves serão adquiridas pelas empresas de leasing Aircastle e ICBC e em seguidas repassadas a KLM Cityhopper, divisão regional da companhia holandesa. As entregas começarão no primeiro trimestre de 2021, informou a fabricante.

O pedido da KLM é a confirmação de uma “Carta de Intenção” assinada em junho deste ano, durante o Paris Air Show, com o acréscimo de mais seis encomendas firmes pelo E195-E2. Se todos os direitos de compra forem exercidos, o acordo pode alcançar o valor de US$ 2,48 bilhões.


As aeronaves da KLM já aparecem no backlog da Embraer como pedidos da Aircastle e da ICBC; cada uma fornecerá à companhia holandesa 11 e 10 jatos E195-E2, respectivamente. As aeronaves serão configuradas com 132 assentos.

“A decisão da KLM de adicionar seis aeronaves a esta encomenda é um voto de confiança significativo ao nosso programa E2”, disse John Slattery, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “Com 30% menos emissões quando comparado aos atuais E190 da KLM e com 32 assentos a mais, o E195-E2 irá simultaneamente aumentar a capacidade da companhia aérea no movimentado Aeroporto de Schiphol enquanto também proporcionará uma grande redução de emissões.”

“Para a KLM, essa nova aeronave é uma parte importante do nosso comprometimento em melhorar nosso impacto ambiental. O E195-E2 não é apenas o avião mais eficiente em consumo e emissões da sua categoria, mas também é o mais silencioso com uma considerável margem”, afirmou o presidente e CEO da KLM, Pieter Elbers.

A KLM Cityhopper será o quarto operador do E195-E2, cujas primeiras unidades foram entregues recentemente à Azul. Outras companhias que confirmaram pedidos pelo maior modelo da nova série E2 são a Binter Canarias (com cinco aeronaves encomendadas) e a Air Peace (10 aviões).

E2 ainda não embalou

Segundo o balanço mais recente divulgado pela Embraer, o E195-E2 somou até o terceiro trimestre deste ano um total de 124 pedidos firmes e 50 opções de compra, enquanto o E190-E2, primeiro modelo E2 a estrear no mercado, totaliza 44 pedidos firmes e 61 opções de compra. Já o E175-E2, previsto para 2021, ainda não tem clientes.

O E190-E2 é o primeiro avião a jato da Widerøe, empresa que já tem mais de 80 anos de mercado (Thiago Vinholes)

A Embraer entregou sete jatos E190-E2 desde abril de 2018 (Thiago Vinholes)

O volume de pedidos pelos jatos da família E2 da Embraer ainda está bem distante de seu principal concorrente, o Airbus A220 (ex-Bombardier CSeries), que até outubro acumulou 530 pedidos firmes.

As vendas do A220 ganharam um forte impulso depois que a Airbus assumiu o programa CSeries da Bombardier, em junho de 2018. Esse mesmo efeito também é esperado com os jatos E2 após a conclusão do acordo entre a Embraer e a Boeing, previsto para o início de 2020.

Veja mais: Boeing espera retomar entregas do 737 MAX em dezembro