O DC-4 "Friesland" foi o primeiro avião da KLM que pousou no Brasil e, em seguida, na Argentina (KLM)

O DC-4 “Friesland” foi o primeiro avião da KLM que pousou no Brasil e, em seguida, na Argentina (KLM)

No dia 18 de outubro de 1946 pousou no Brasil o primeiro avião da companhia holandesa KLM. A aeronave, um Douglas transportando 44 passageiros, decolou de Amsterdã e fez escalas em Lisboa e Dakar antes de atravessar o Oceano Atlântico em direção a América do Sul, até pousar em Natal (RN). O voo ainda fazia paradas no Rio de Janeiro e São Paulo até chegar a Buenos Aires, seu destino final. Esse trajeto durava três dias e meio e a frequência era realizada duas vezes por semana.

Passados 70 anos, a KLM hoje voa para o Brasil com alguns dos mais avançados aviões do mundo, com 13 voos diretos para a Holanda por semana realizados no Boeing 787 em cerca de 12 horas. A empresa opera sete voos semanais em São Paulo e outros seis no Rio de Janeiro.


“Oferecer aos passageiros da KLM já por 70 anos uma ligação entre o Brasil e Amsterdã, e de lá para o mundo, é um marco muito significativo e simbólico. Estou, portanto, feliz em comemorar hoje tanto o sucesso da nossa história, bem como o reforço da nossa parceria com a GOL”, afirma Pieter Elbers, presidente da KLM.

A KLM é parceira da Gol, empresa com a qual mantém um acordo de compartilhamento de voos (codeshare). Ou seja, quem vem da Holanda pode chegar em SP ou no RJ e seguir direto, sem precisar recolher a bagagens, em voos da empresa brasileira. Outra possibilidade é a de clientes no Brasil comprarem passagens para Amsterdã e conexões da empresa holandesa pelo site ou lojas da Gol.

Os voos da KLM para São Paulo e o Rio de Janeiro têm até menu de bordo “abrasileirado”. As refeições servidas nessa rota foram elaboradas pelo chef Rodrigo Oliveira, do Restaurante Mocotó.

Na década de 1950, o DC-4 deu lugar ao clássico Constalation, com maior capacidade e autonomia (KLM)

Na década de 1950, o DC-4 deu lugar ao clássico Constalation, com maior capacidade e autonomia (KLM)

Conquistando o mundo

Em 1946, ano em que a KLM chegou ao Brasil, foi um dos períodos mais importantes e de maior crescimento na história da companhia, a mais antiga do mundo ainda operação – a KLM foi fundada em 1919. Além de iniciar as rotas para a América do Sul, nesse mesmo ano a empresa iniciou voos para países na África, Caribe e lançou o primeiro serviço de voo direto entre a Europa e os Estados Unidos, com destino em Nova York, também de DC-4.

Dois anos depois, já com uma malha de voos para todos os continentes, a KLM colocou em operação seus primeiros aviões com cabines pressurizadas, o Lockheed Constellation e o DC-6, com maior capacidade de ocupantes e autonomia. Em 1950, três anos após o início da expansão, a companhia transportou mais de 700 mil passageiros, número que voltou a dobrar após mais cinco anos de investimentos.

A sigla KLM abrevia o nome holandês “Koninklijke Luchtvaart Maatschappij”, que em português significa “Companhia Real de Aviação”. O título de nobreza foi concedido a empresa no ano de seu fundamento, pela rainha Guilhermina dos Países Baixos.

Um dos jatos da KLM que voa para o Brasil é o Boeing 787 (KLM)

Um dos jatos da KLM que voa para o Brasil é o Boeing 787 (KLM)

A companhia foi fundada por Albert Plesman, aviador pioneiro na Holanda, que presidiu a companhia até sua morte, em 1953. Em 2004, a maior parte das ações da KLM foi comprada pela Air France, formando a maior companhia aérea da Europa.

Diferentemente da reformulação criada pela hoje Latam (fusão da Lan Chile com a Tam), a fusão entre as empresas europeias não levou a modificação na identidade visual das aeronaves e marcas das companhias, permitindo preservar a iconica pintura azul dos aviões da KLM.

Veja mais: American Airlines completa 90 anos