A321 da JetBlue: versão LR ligará Nova York e Boston a Londres (Airbus)

Uma das inúmeras companhias aéreas de baixo custo criadas por David Neeleman (fundador da Azul), a JetBlue anunciou nesta quarta-feira (10) que estreará suas primeiras rotas transatlânticas em 2021. Os voos partirão de Nova York e Boston e terão como primeiro destino Londres. Mas a companhia aérea estuda ampliar seus destinos na Europa que estejam ao alcance de suas aeronaves.

Por falar nelas, para poder voar sobre o Oceano Atlântico, a JetBlue decidiu converter 13 aviões A321neo de sua encomenda original para a versão A321LR, que oferece autonomia para ligar a região nordeste dos EUA à parte da Europa.


Os novos aviões serão equipados com a classe executiva “Mint” com 16 assentos que se reclinam 180º dos quais, quatro deles que podem ser transformados em mini-suites.

“Vinte anos atrás, nossos fundadores tinham uma fórmula simples para escolher um novo mercado – ele tinha que ser saturado, carente ou ambos” afirmou Joanna Geraghty, CEO da JetBlue. “Londres é a maior área metropolitana que a JetBlue ainda não atende, tanto de Boston quanto de Nova York, e não poderíamos estar mais empolgados em mudar isso nos próximos anos”, completou a executiva.

A JetBlue, no entanto, ainda não revelou em qual aeroporto londrino pousará. A companhia diz estar negociando com os operadores para fechar um acordo.

Classe executiva Mint

Embora não tenha precisado uma data para iniciar o serviço, a JetBlue deve levar ao menos um ano para obter a certificação ETOPS da FAA, que permite que ela possa voar com o A321LR sobre o Atlântico.


Com os voos da JetBlue, Boston terá cinco companhias aéreas oferecendo voos para Londres – British Airways, Virgin Atlantic e Delta Air Lines voam para Heathrow que ganahrá uma quarta companhia, a Cirium, em breve. Já a Norwegian Air faz a rota Boston-Gatwick.

Londres, por sua, vez tem hoje seis companhias aéreas a ligando a Nova York. A British Airways (Heathrow-JFK, Heathrow-Newark, London City-JFK, Gatwick-JFK), Virgin Atlantic (Heathrow-JFK e Heathrow-Newark), Delta e American (JFK-Heathrow), United (Newark-Heathrow) e Norwegian Air (Gatwick-JFK).

Expansão internacional

Embora David Neeleman tenha se afastado da JetBlue há alguns anos, a estratégia de expansão contínua de suas companhias aéreas parece que não foi esquecida pela empresa nova-iorquina. Assim como ela, também a Azul vislumbrou suas primeiras rotas internacionais sem deixar o foco em sua atuação local e em aeroportos com demanda menor e que não atraem grandes operadores.

Assim como tem ocorrido com outras empresas que possuem os novos jatos de corredor único, a JetBlue também fará uso do grande alcance que eles oferecem para viabilizar serviços antes impossíveis. Tanto o A321LR quanto o A320neo tem se encaixado nesse perfil e assim voltará a ser com o 737 MAX, da Boeing, que hoje está suspenso de voar.

David Neeleman: fundador da JetBlue, executivo ainda tem suas ideias ecoadas mesmo fora da empresa (Embraer)

Veja também: JetBlue anuncia primeira encomenda do Airbus A220