O Inflatoplane foi testado entre 1956 e 1973; avião era inflado em apenas 5 minutos (Domínio Público)

O Inflatoplane foi testado pela Goodyear e o US Army entre 1956 e 1973  (Domínio Público)

Em 1955, o Exército dos Estados Unidos (US Army) lançou um pedido para a indústria por uma aeronave pequena e leve, fácil de pilotar, de manutenção simples e com alcance próximo de 500 km. Outra parte do requerimento era de que o avião deveria ser inflável…

A questão foi atendida pela Goodyear Aircraft Company, a então divisão aeronáutica da gigante fabricante de pneus dos Estados Unidos e aquela altura também com experiência na construção de dirigíveis, fruto de uma antiga parceria que teve com a Zeppelin, da Alemanha.



O Inflatoplane (avião inflável), como foi chamado, foi projetado e construído pela Goodyear em apenas 12 semanas e em menos tempo ainda foi preparado para seu primeiro voo, que aconteceu no dia 13 de fevereiro de 1956. Era o início de um programa de testes que duraria quase 18 anos, chamando mais atenção pela curiosidade do que pela praticidade.

Avião de borracha

O corpo e as asas do Inflatoplane ganhavam forma por meio de uma estrutura de borracha reforçada e cobertura de nylon, fortes o suficiente para manter o modelo rígido durante o voo. Já o motor era um dois cilindros de ciclo dois tempos capaz de gerar 40 cavalos de potência.

O avião podia ser inflado para o voo em apenas cinco minutos (Domínio Público)

O avião podia ser inflado para o voo em apenas cinco minutos (Domínio Público)

Apesar do aspecto estranho, o avião da Goodyear apresentou um desempenho interessante. O modelo alcançava a velocidade de 120 km/h e podia permanecer voando por até 6,5 horas – ou percorrer cerca de 630 km. Também exigia pouquíssimo espaço para operar: a decolagem podia ser realizada em espaços de apenas 76 metros de comprimento e o pouso em 106 m, em terra firme ou mesmo na água.

O principal objetivo do projeto era criar um meio de salvamento para militares presos atrás das linhas inimigas. A ideia era lançar o avião desmontado de paraquedas na área de resgate, onde o sujeito isolado poderia inflá-lo em apenas cinco minutos usando uma bomba manual ou um dispositivo movido pelo motor da aeronave e sair de lá voando com ela.

Desmontado, o Inflatoplane podia ser transportado com facilidade (Domínio Público)

Desmontado, o Inflatoplane podia ser transportado com facilidade (Domínio Público)

Quando desmontado, o Inflatoplane era guardado em uma caixa de apenas 1,2 metro cúbico. Esse tamanho permitia seu fácil deslocamento em carretas puxadas por jipes, caminhões e aviões. Para ser inflado a aeronave precisava de apenas 8 psi, pressão inferior a necessária para encher o pneu de um carro.

A Goodyear também desenvolveu uma versão maior do Inflatoplane, o GA-466. Esse modelo era configurado para transportar o piloto e mais um ocupante e ainda contava com um motor mais potente, desta vez um quatro cilindros de 60 hp.

O desempenho da aeronave inflável para dois ocupantes, que ficou mais pesada (decolava com peso máximo de 340 kg), no entanto, era inferior: alcançava 110 km/h e a autonomia era limitada em 445 km.

Muitos testes, nenhum resultado

O programa de testes do Inflatoplane foi realizado na fábrica da Goodyear em Akron, no estado de Ohio. Na parte final dos ensaios, em 1973, ocorreu um acidente fatal com o tenente “Pug” Wallace, aviador do exército dos EUA.

Segundo relatos da época, a aeronave perdeu o controle após um cabo de acionamento das superfícies de comando ter saído da polia e forçado uma das asas ao encontro da hélice do motor, que a cortou. Ainda no ar, uma parte da asa atingiu a cabeça do piloto, como ficou evidente nas marcas de seu capacete. O impacto lançou Wallace para fora do avião, que, provavelmente desacordado, não conseguiu acionar seu paraquedas e caiu no leito raso de um lago.

Em quase 20 anos de testes, o avião-inflável nunca foi declarado operacional (Domínio Público)

Em quase 20 anos de testes, o avião da Goodyear nunca foi declarado operacional (Domínio Público)

Nas quase duas décadas que durou o programa, a Goodyear fabricou 12 protótipos, sendo que dois deles permanecem preservados (e devidamente inflados) em museus aeronáuticos na Filadélfia e em Washington. Sem encontrar um propósito realmente prático e diante de seu risco operacional, o US Army cancelou o o projeto e a ideia do Inflatoplane acabou murchando…

Veja mais: O avião gigante de Hitler