Hercules da FAB: mais de cinco décadas em operação (FAB)

O congresso nacional de Honduras aprovou no final de maio a criação de um “convênio de cooperação” com o Brasil para negociar aeronaves. Segundo o termo dos hondurenhos, a força aérea do país vai oferecer dois monomotores Cessna 208EX Grand Caravan em troca de um cargueiro C-130H Hercules mais cinco helicópteros UH-1H da Força Aérea Brasileira (FAB), além de peças sobressalentes, motores e equipamentos de combate a incêndios.

Como frisam os meios de comunicação de Honduras, o acordo é negociado como um convênio pois as leis brasileiras não permitem doações de equipamentos militares, embora o Brasil já tenha trocado ou doado aviões para outros países no passado. Em 2010, a FAB trocou três aviões de treinamento Tucano pelo antigo avião presidencial do Paraguai, um Boeing 707, e a Bolívia recebeu antigos helicópteros UH-1H em 2012. Em casos do doações, é necessário um decreto presidencial.


Contatada pelo Airway desde a semana passada, a FAB diz que ainda está apurando o assunto e não soube informar ou confirmar à reportagem as intenções de Honduras.

Os aviões oferecidos por Honduras são relativamente novos. Eles foram doadas ao país na América Central pelos Estados Unidos em 2015 e são da versão mais recente fabricada pela Cessna – a série EX, lançada em 2012. Por ser um avião militar fabricado nos EUA, a troca também precisa ser autorizada por Washington.

O Grand Caravan é um dos principais produtos no segmento dos commuters, os aviões utilitários, operados no mundo todo, inclusive pela FAB. Pode transportar 14 ocupantes ou quase 1.500 kg de carga e tem uma hábil capacidade para operar em pistas pequenas e de difícil acesso. Um modelo novo de uso civil custa em torno de R$ 10 milhões.

Então dois Cessna “semi-novos” pagam um Hercules usado e cinco helicópteros desativados? Essa é uma conta difícil de mensurar e não existe uma tabela de preços para equipamentos militares de segunda mão. São aeronaves antigas e fora de serviço, como os UH-1H, retirados em definitivo pela FAB no ano passado após mais de 50 anos de operações.


Os aviões oferecidos por Honduras foram doados pelos EUA

Os cargueiros C-130, mesmo usados e com longa carreira, ainda são elementos cruciais para uma força aérea, embora com elevados custos de operação que aumentam conforme a frota envelhece. Reformado e atualizado, ainda é um avião interessante e que pode continuar voando por longos períodos. A FAB, porém, vai substituir os Hercules nos próximos anos pelo novo Embraer KC-390.

O clássico quadrimotor turbo-hélice da Lockheed Martin opera no Brasil desde 1964 e um total de 29 unidades já passaram pela frota brasileira. As aeronaves em serviço no país podem ser usadas em missões de transporte de tropas e cargas, lançamento de mantimentos, voos de busca e salvamento e operações de reabastecimento aéreo de caças, com os modelos KC-130H.

Brasil ofereceu ajuda em 2018

Durante a última edição da Cúpula das Américas, em Lima, no Peru, em abril de 2018, o ex-presidente Michel Temer discutiu com o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, a possibilidade de o Brasil ajudar o país da América Central em questões militares.

“Nós sabemos que vocês querem melhorar a força aérea, e nós temos uma empresa, a Embraer, que tem grande experiência e equipamentos de qualidade, então queremos falar sobre essa possibilidade”, disse Temer na ocasião ao colega de posto em Honduras, acrescentando uma recomendação sobre o KC-390.

“Temos visto uma grande oportunidade no setor aéreo brasileiro, porque aspiramos obter um avião cargueiro. Temos que mover muitas tropas para atender desastres naturais, incêndios, que neste verão são muito fortes”, comentou o presidente de Honduras em Lima.

Na rota de grandes tempestades tropicais e ameças de narcotraficantes, Honduras não tem atualmente nenhuma aeronave com o porte ou as capacidades do Hercules.

O H-1 tem capacidade para transportar até 14 soldados (FAB)

O UH-1H tem capacidade para transportar até 14 soldados (FAB)

Empresa brasileira em Honduras

Empresa de São Paulo (SP) especializada em sistemas aviônicos de aeronaves, a Avionics Service trabalha desde 2017 no programa de atualização de helicópteros UH-1H de Honduras. O projeto prevê a revitalização de oito modelos da força aérea do país que estavam estocados. No final de 2018, quatros desses aparelhos foram entregues de volta ao serviço operacional. O trabalho é realizado por técnicos da empresa brasileira e hondurenhos da base aérea de Tegucigalpa.

Os helicópteros são desmontados e as fuselagens e motores são reformados. Outra parte importante é a atualização dos sistemas de controle de voo, com novos equipamentos digitais no lugar dos antigos mostradores analógicos, como aponta a reportagem do jornal hondurenho El Heraldo.

Não está claro ainda o interesse de Honduras pelos helicópteros da FAB. A aquisição pode ser uma oportunidade para o país reativar mais aeronaves ou mesmo utilizar os componentes de segunda mão como estoque de peças, algo muito comum na aviação militar.