Brasil e Equador não contam atualmente com voos comerciais diretos; maior parte faz escala no Peru (GOL)

Brasil e Equador não contam atualmente com voos comerciais diretos; maior parte faz escala no Peru (GOL)

A Corporación Quiport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional Mariscal Sucre, em Quito, no Equador, e a companhia brasileira Gol assinaram um memorando de entendimento para viabilizar uma futura operação entre a capital equatoriana e São Paulo em voos diretos.

A assinatura do memorando foi feita durante o encontro Routes Americas 2018, realizado em Quito entre 13 e 15 de fevereiro. Segundo a concessionária equatoriana, a ação é resultado de mais de dois anos de negociações e análises com a Gol, considerando o potencial de mercado cambial dos passageiros existentes entre as duas cidades.



“Nós acreditamos que o mercado existe e que podemos desenvolvê-lo com uma promoção adequada em ambos os países”, disse Andrew O’Brian, presidente e CEO da Quiport.

Em comunicado oficial, a concessionária anunciou que mais detalhes sobre a operação da Gol entre São Paulo e Quito serão revelado quando as negociações tiverem terminado e o início dos voos forem definitivamente aprovados, o que poderá ocorrer ainda neste ano, de acordo com a Quiport.

Apesar da proximidade geográfica, Brasil e Equador não contam atualmente com voos comerciais diretos. A maioria das operações realizadas entre os dois países é realizada via Peru, como são os casos de voos da Latam e Avianca que fazem escala em Lima.

O Airway entrou em contato com a Gol, mas a companhia esclareceu que, por enquanto e apesar da assinatura do memorando de entendimento com Quiport, “não há estudos para essa rota”.

Veja mais: Qatar Airways recebe primeiro Airbus A350-1000