O Su-57 é o primeiro caça de 5ª geração russo (UAC)

O Sukhoi Su-57, futuro caça stealth (invisível aos radares) da Rússia, deu mais um passo em direção ao início de produção nesta semana. Um dos protótipos da aeronave, ainda designada como T-50, decolou no dia 5 de dezembro da base de Zhukovsky equipado com um motor turbofan NPO Saturn Type 30, desenvolvido especificamente para o jato.

Até então, o novo jato russo utilizava os mesmos motores que equipam o caça Su-35 Flanker (NPO Saturn Type 117S), menos capazes e que restringiam o desempenho do caça avançado. Hoje a Sukhoi utiliza dez protótipos no programa de testes da aeronave, também conhecida pela sigla PAK FA.


Como é possível ver na galeria de imagens, o novo motor (instalado do lado esquerdo do avião) parece um pouco mais curto e com a saída do pós-combustor diferente.

O Su-57 deve entrar em operação em 2019 com a entrega de 12 unidades, mas não está claro se elas serão equipadas com o novo turbofan afinal ele ainda precisará de muitas horas de testes até se tornar confiável.

Caça de 5ª geração

O projeto do primeiro caça de 5ª geração da Rússia já acumula décadas de atraso. Os primeiros estudos datam ainda da época da União Soviética que tinha planos de responder aos Estados Unidos e seu F-22 ainda na década de 90. Surgiu daí o MiG 1.44, um caça bimotor de asas em delta e canards. O desenvolvimento, no entanto, foi bastante complicado e cheio de percalços que fizeram com que o protótipo só voasse em fevereiro de 2000, nove anos depois do previsto. O avião voou apenas mais uma vez e o projeto, cancelado sem maiores explicações.


Enquanto o MiG 1.44 sofria ainda no solo, a Sukhoi construiu um protótipo de caça de 5ª geração focado na manobrabilidade apurada, o Su-47 (originalmente S-37). Com asas de enflechamento negativo, o caça foi importante para que os russos pudessem aprimorar algumas tecnologias como sistema fly-by-wire e uso de materiais compostos. O único protótipo voou em setembro de 1997 e forneceu importantes informações para o T-50.

Com o fim do programa MFI (que deu origem ao MiG 1.44), a Rússia lançou outra competição, PAK FA que acabou elegendo a Sukhoi como vencedora em 2002. O caça que surgiu desse projeto apresentou um design muito semelhante ao avião americano F-22 que priorizavam o conceito stealth. O primeiro voo do T-50, no entanto, só veio a ocorrer em janeiro de 2010, o que deve conferir ao Su-57 um longo período de desenvolvimento de cerca de nove anos até a entrada em serviço.

Veja também: Rússia avança no projeto de um bombardeiro invisível aos radares