O KC-46A foi desenvolvido a partir do modelo comercial Boeing 767 (USAF)

O KC-46A pode transportar mais de 95 toneladas de combustível (USAF)

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) aceitou oficialmente o KC-46A Pegasus, o novo jato de reabastecimento aéreo da Boeing. Segundo a fabricante, a aeronave será enviada para sua nova casa, a base aérea de McConnel, no Kansas, nas próximas semanas.

O novo avião-tanque tanque dos EUA é baseado no jato comercial 767 e tem a missão de substituir um clássico, o quadrimor KC-135 Stratotanker, em serviço com a USAF desde 1957. O modelo da Boeing foi o vencedor do programa KC-X da USAF, anunciado em 2007 e definido somente em 2013. A força aérea norte-americana também recebeu propostas da Airbus, com o A330 MRTT, e da Antonov, que sugeriu o turbo-hélice KC-135R (baseado no AN-70).


“O KC-46A é uma aeronave comprovada, segura e de múltiplas missões que transformará as operações de reabastecimento aéreo e de mobilidade nas próximas décadas. Estamos ansiosos para trabalhar com a Força Aérea e a Marinha, durante seu teste operacional inicial e avaliação do KC-46, conforme demonstramos as capacidades operacionais dessa aeronave de última geração em missões de reabastecimento, mobilidade e sistemas de armas de combate, disse Leanne Caret, presidente e CEO da Boeing Defense, Space & Security.

O novo KC-46A foi testado com os mesmos aviões de combate e transporte que são reabastecidos pelos antigos KC-135. A lista inclui caças como F-15, F-16 e F/A-18, o bombardeiro B-52, o cargueiro C-17 ou mesmo outros aviões-tanque, como o KC-10 (baseados no trimotor DC-10) e o KC-135. De acordo com a USAF, seis aviões de teste completaram mais de 3.800 horas de voo e descarregaram cerca de 1,8 tonelada de combustível para outras aeronaves.

A USAF, que pretende encomendar até 179 jatos KC-46A, já tem um pedido firme com a Boeing para 52 unidades do novo aparelho baseado no 767. Outros quatro jatos estão prontos para serem entregues no próximo mês, infirmou a fabricante.

Os majores Nick Cenci e Anthony Mariapain, da USAF, acompanham o processo de entrega do primeiro KC-46A, em Seattle (Boeing)

Os majores Nick Cenci e Anthony Mariapain, da USAF, acompanham o processo de aprovação do KC-46A, em Seattle (Boeing)

“Este é um dia histórico e emocionante para a Força Aérea e para a Boeing, quando entregamos o primeiro de muitos KC-46″, disse o Presidente e CEO da Boeing, Dennis Muilenburg. “Tenho orgulho da dedicação e do comprometimento da nossa equipe em toda a empresa e estamos honrados em fornecer essa aeronave valiosa e capacitada a nossos clientes. Esperamos continuar a construir e apoiar o KC-46 para a Força Aérea – e outros clientes em todo o mundo – pelas próximas décadas.”


O KC-46, derivado da fuselagem comercial 767 da Boeing, é construído nas instalações da Boeing em Everett, Washington. Os tanques do Pegasus podem receber até 96.297 kg de combustível (10% a mais que o KC-135), o suficiente para abastecer 18 caças F/A-18. A carga de querosene que o avião transporta pode ser maior que seu próprio peso vazio, que bate em 83.377 kg. A aeronave ainda pode ser convertida para transportar pessoal (até 114 ocupantes), cargas e atuar em missões de resgate de feridos com leitos médicos.

Missão importante

Os aviões de reabastecimento aéreo são peças fundamentais da USAF. Posicionadas pelos EUA e em diversas bases pelo mundo, esses “postos de combustível” voadores podem ajudar caças e bombardeiros da frota americana a cruzar oceanos e continentes. Nos últimos 60 anos, essa tarefa vem sendo confiada principalmente aos veteranos KC-135, cujas unidades mais novas foram fabricadas no final dos anos 1960.

Os EUA estão próximos de aposentar os antigos KC-135 Stratotanker, introduzidos em 1957 (USAF)

Os EUA estão próximos de aposentar os antigos KC-135 Stratotanker, introduzidos em 1957 (USAF)

Atualizado ao longo das décadas com o que surgia de mais avançado em cada época, o KC-135 partiu da era analógica e evoluiu até a era digital e chegar perto de seu limite estrutural. O avião-tanque sexagenário ainda é uma peça importante na frota da USAF, que ainda tem quase 400 unidades no inventário, entre modelos em operação, estocados e da Guarda Aérea Nacional. Outros operadores do Stratotanker são o Chile, França, Cingapura e Turquia.

Com o KC-46A, a Boeing finalmente tem um novo avião-tanque “zero km” no mercado militar. O programa é um alívio para o segmento de defesa da empresa, que nos últimos anos acompanha a Airbus ganhando destaque e clientes com o A330MRTT, que já tem sete operadores confirmados.

Veja mais: Governo brasileiro aprova parceria estratégica da Boeing com a Embraer