O Irã é um dos países com a frota de aeronaves comerciais mais envelhecidas do mundo

O Irã é um dos países com a frota de aviões comerciais mais envelhecidas do mundo

Um Fokker 100 da companhia Iran Air, do Irã, realizou um pouso forçado no aeroporto de Mehrabad, em Teerã, na noite dessa terça-feira (19). A aeronave pousou de barriga e ainda sofreu um princípio de incêndio depois que parou na pista, mas o fogo logo foi controlado e todos os 100 passageiros a bordo foram evacuados sem ferimentos, informou a agência estatal Fars.

De acordo com a agência iraniana, o trem de pouso da aeronave não baixou de forma apropriada, mesmo após os pilotos circularem o aeroporto realizando manobras para tentar descer o conjunto de rodas. A aeronave voava de uma ilha no Golfo Pérsico para a capital do Irã.


A televisão estatal IRIB, citando Reza Jafarzadesh, diretor de relações públicas da organização de aviação civil do Irã, disse que o avião transportava 24 passageiros e nove tripulantes. O canal, no entanto, não deu qualquer explicação sobre a discrepância nos números de ocupantes a bordo do Fokker 100 da Iran Air.

Aviação em crise no Irã

O Irã é um dos países que mais vem registrando acidentes com aviões e helicópteros nas últimas décadas. O país enfrenta duras sanções dos Estados Unidos que impedem a compra de novos aviões ou mesmo peças de reposição do Ocidente para modernizar e manter sua frota. Por conta dessa precariedade, companhias aéreas iranianas são proibidas de voar para Europa.

As sanções impostas ao Irã são tão severas que o país é proibido até mesmo de comprar aeronaves da Rússia, que tradicionalmente é um parceiro da república islâmica no Golfo. No início deste ano, os EUA barraram a venda de 20 jatos SSJ100 da Sukhoi ao país. O avião russo contém cerca de 10% de componentes de fabricação norte-americana.

No final de 2018, os EUA também proibiu a venda de 200 aeronaves para a companhia Iran Air, que haviam encomendado aeronaves da Boeing, Airbus e ATR.

O pouso forçado do Fokker 100 da Iran Air foi o segundo incidente deste tipo ocorrido no país em pouco mais de um ano com o mesmo tipo de aeronave. Em 16 de fevereiro de 2018, um jato da Qeshm Air também sofreu uma falha no trem de pouso e realizou um pouso forçado em Mashhad.

Dois dias após o incidente com o Fokker 100 da Qeshm Air, um turbo-hélice ATR 72 da companhia Iran Aseman Airlines caiu em Yasuj. Todos os 66 ocupantes que estavam a bordo morreram.

O Irã também foi o país que registrou o primeiro desastre aéreo em 2019. Em 14 de janeiro, um Boeing 707 de carga operado pela força aérea do país caiu em Fath, deixando 15 mortos.

Veja mais: Fokker 100 se despede do Brasil